Toda manutenção tem limite: Rogério Ceni não conseguiu se provar, e Flamengo deve procurar um novo treinador

Antonio Mota
·2 minuto de leitura

Ídolo no Fortaleza e visto como “o melhor treinador no Brasil” na época de sua contratação, Rogério Ceni não apresentou os resultados esperados e agora balança no Flamengo. Por ora, o ex-goleiro fica no Rio de Janeiro ao menos até o próximo mês de fevereiro – quando acaba o Campeonato Brasileiro e o calendário de 2020 –, mas o seu futuro é incerto e tende a ser longe do Mais Querido.

E a verdade é que a situação é frustrante. Ceni chegou ao Rubro-Negro, mesmo que como uma aposta, cercado de ótimas expectativas e com muitos holofotes, mas decepcionou. Eliminado da Copa do Brasil e da Conmebol Libertadores e sem conseguir engatar no Brasileirão, o “Mito” não conseguiu se encontrar no Flamengo e caminha para mais uma experiência negativa, assim como aconteceu no Cruzeiro – onde não deveria ter sido demitido.

Rogério Ceni não deve continuar no Flamengo. | Wagner Meier/Getty Images
Rogério Ceni não deve continuar no Flamengo. | Wagner Meier/Getty Images

Rogério Ceni foi anunciado pelo Flamengo em novembro do ano passado e chegou com um discurso pronto e afiado de que montaria um time agressivo, com marcação alta e posse de bola, mas sem abdicar de uma boa defesa. Mas isso (quase) nunca aconteceu. Com o ex-goleiro, o Rubro-Negro não conseguiu fazer uma partida sequer em um nível pleno – sem falar da ‘era Jorge Jesus’, mas da capacidade da equipe – e hoje comete vários dos erros do passado.

Mas Ceni não tem pouco tempo à frente do Mais Querido? Sim, ele tem, mas não se trata apenas de tempo, mas de perspectiva. O Flamengo do Rogério Ceni não avança. Ele teve várias semanas completas para treinar o time e nada mudou. E não apenas por isso. A sua escola também não o permite mudar: o ex-goleiro foi formado em um modelo que não costuma fugir muito do que ele tem apresentado, com um atacante de ponta indispensável, um zagueiro “gigante” e por aí vai.

Portanto, mesmo acreditando na necessidade de manutenção do trabalho dos treinadores e que é preciso tempo, tudo tem limite. E, para o Flamengo, o Rogério Ceni não parece ser a melhor opção para a próxima temporada.