TJD confirma julgamento, e Fagner pode desfalcar Corinthians na final

DASSLER MARQUES

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - Presidente do Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo, Antônio Olim confirmou que o lateral direito Fagner, do Corinthians, e o meia Cueva, do São Paulo, vão a julgamento na próxima terça-feira, 2 de maio, às 17h30.

Dessa maneira, caso seja suspenso, o corintiano ficaria de fora da segunda partida final do Campeonato Paulista, diante da Ponte Preta, no dia 7 de maio. Fagner está liberado para o jogo de ida, em Campinas, neste próximo domingo (30).

Após análise detalhada das imagens, a Procuradoria do TJD resolveu denunciar os dois jogadores pelo artigo 250 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, resumido por ato hostil. A pena prevista vai de um a três jogos.

A rapidez do julgamento, que chegou a se imaginar seria só após o Estadual, foi uma iniciativa da Procuradoria do TJD. Procurado pela reportagem, o advogado do Corinthians João Zanforlin afirmou que o clube ainda não foi notificado e criticou o fato de Fagner ter sido denunciado após divulgação de imagens de TV.

"Quando recebermos a intimação vamos nos sentar com o corpo jurídico e decidir a linha a tomar. Acredito sim que ele pode ser liberado, o advogado tem que acreditar. Apitar jogo por imagem e julgar por imagem é mais fácil", disse Zanforlin, que levantou a possibilidade do clube pedir efeito suspensivo para contar com o atleta na decisão.

"Dependendo o que ocorrer no julgamento, podemos pedir. Ou pelo número de jogos [penas a partir de três partidas dão direito ao pedido], ou se há grande chance da decisão ser modificada no tribunal pleno, numa instância seguinte, que pode gerar um dano irreparável ao atleta", completou.

No clássico do último domingo (23), os dois jogadores trocaram agressões. Cueva, irritado pela marcação do corintiano, acertou uma cabeçada e levou a mão a seu rosto. Fagner, instantes depois, retribuiu com uma joelhada na coxa do rival, ato também conhecido como 'paulistinha' ou tostão'.