'Por Tite vale qualquer esforço', diz capitão Neymar

(27 mar) Neymar participa de entrevista coletiva após um treino em São Paulo

Sete meses após renunciar à braçadeira de capitão da seleção brasileira, Neymar voltará a ocupar a posição nesta terça-feira, contra o Paraguai, atendendo a um pedido de Tite.

Neymar, que será o sexto capitão do Brasil nas eliminatórias, depois de Miranda, Daniel Alves, Renato Augusto, Filipe Luís e Fernandinho, explicou sua opção de rejeitar a braçadeira no passado: "Foi uma decisão por tudo o que ocorreu, por tudo que falaram. Senti que não era o momento de exercer esta posição".

"Mas no decorrer do trabalho com o Tite, além deste grupo maravilhoso, decidi que por ele vale qualquer esforço. É um cara que eu admirava de longe e passei a admirar ainda mais. Ele me escolhendo fico muito feliz e faço por ele".

"Tite já tinha conversado comigo, e me fez pensar. Meu modo de agir, de trabalhar e de viver na seleção. O rodízio que o professor faz não me deixa ser o melhor nisso ou naquilo. O capitão usa a braçadeira, representa a seleção, mas dá para ser sem ela também, dar uma dura na marcação. É o modo de agir, de pensar, melhorar as coisas. Venho melhorando em tudo. Já me estressei muito por levar pancadas. Estou melhorando".

"A gente ouve muitos conselhos, mas só aprende de verdade quando se machuca ou faz coisa errada. Já discuti quando não era necessário, tomei cartões amarelos e vermelhos, me prejudiquei, prejudiquei meus companheiros. Mas vamos ficando maduros. Hoje, só penso em jogar futebol e estou melhor em tudo", declarou Neymar na entrevista ao lado de Tite, afirmando que vive um dos melhores momentos da sua carreira.

"Sempre disse que nunca existiu 'Neymardependência', estamos falando da seleção brasileira. Nossa equipe, se estiver focada, é a melhor. Sabemos disso, temos humildade de reconhecer os adversários, temos de jogar. Às vezes, não encaixava uma peça ou outra, o professor (Tite) chegou e nos ajustou, passamos a jogar futebol. Não mudou tantos jogadores, só o jeito de jogar. Todos aparecem", declarou o craque do Barcelona.

"Treinamos todo dia para chegar na hora do jogo e fazer o nosso melhor. A gente fica muito contente e feliz das coisas estarem dando certo, de o Tite ter encaixado bem a Seleção. Temos que seguir assim, com os pés no chão...".

"Passamos a ter confiança para buscar a nossa identidade e conseguimos. A seleção, não importa o ano, onde for sempre será uma das principais. Sabemos o peso desta camisa. Temos que trabalhar, não adianta só falar. A camisa não joga sozinha. Estamos felizes, treinando, jogando bem. Esperamos mais uma ótima apresentação" contra o Paraguai, disse o craque do Barça.