Tite recusa falar sobre Copa América em meio a rumores de oposição dos jogadores

·2 minuto de leitura
O técnico Tite dá instruções durante partida entre Peru e Brasil, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022

O técnico da Seleção Brasileira, Tite, se recusou na quinta-feira a comentar sobre a realização da Copa América no Brasil, num período de crescimento de casos de covid-19, em meio a rumores de que os jogadores que atuam na Europa pediram para não disputar o torneio continental.

"Depois desses dois jogos [pelas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo, contra Equador e Paraguai, nesta sexta e na próxima terça-feira] vou expressar minha opinião", disse o técnico em entrevista coletiva virtual em Porto Alegre, onde sua equipe enfrentará os equatorianos.

Tite garantiu que deixou "lealmente" o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Rogério Caboclo, saber sua opinião sobre a realização da Copa América no Brasil, agendada entre 13 de junho e 10 de julho, após os cancelamentos da Argentina e da Colômbia como organizadores.

“Foi uma conversa muito clara, direta. A partir daí, a postura dos atletas também ficou clara”, acrescentou.

O capitão Casemiro deveria comparecer ao lado do treinador na coletiva desta quinta-feira, que foi adiada duas horas porque a equipe, segundo mensagem da CBF enviada a jornalistas, ainda treinava no horário estabelecido para conferência de imprensa.

Segundo a Rádio Gaúcha, treino no estádio Beira-Rio, onde será disputada a partida contra o Equador, demorou mais do que o esperado porque os jogadores que atuam na Europa solicitaram uma reunião com a comissão técnica na qual, supostamente, eles expressaram o desejo de não jogar a Copa América.

“Eles têm uma opinião, externaram ao presidente, e vão externá-la ao público em um momento oportuno. Inclusive, isso tem a ver com a ausência do nosso capitão, Casemiro, aqui nessa entrevista”, explicou Tite, que também não negou nem confirmou a afirmação versão jornalística.

O técnico brasileiro disse que pediu aos jogadores que se concentrassem no jogo contra o Equador, a revelação da seletiva sul-americana, com nove pontos em quatro partidas.

"Nossa prioridade agora é jogar bem e vencer o jogo contra o Equador. Entendemos que depois da data da Fifa as situações ficarão claras", acrescentou.

A seleção brasileira lidera as Eliminatórias com 12 pontos em quatro jogos.

O anúncio surpresa na segunda-feira de que o Brasil sediará a Copa América provocou fortes críticas de jogadores e treinadores sul-americanos, que questionam a situação de saúde no país, o segundo país com mais mortes pela pandemia (quase 470 mil).

raa/cl/lca

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos