Tite pretende aprender russo até a Copa do Mundo e compara Neymar com Ronaldo Fenômeno

Tite classificou a Seleção Brasileiria para a Copa do Mundo de 2018, na Rússia. Um mês após o feito, o treinador admite que já pensa em jogadores que podem ser convocados, adversários que gostaria de enfrentar, alternativas táticas e admite até a possibilidade de aprender um pouco do idioma russo e visitar o país antes do Mundial.

O ex-comandante do Corinthians revela desejo de enfrentar europeus de "primeiro escalão" e apontou Neymar como o melhor jogador que já dirigiu, superando Ronaldo Fenômeno, com quem trabalhou no Timão, já não em sua forma ideal.

"O Ronaldo Fenômeno, se ele fosse fininho na época, eles iriam concorrer. Peguei o Ronaldo sem condições físicas. Então, Neymar foi o melhor. Está sendo o melhor, ele no último terço do campo é vertical, quer gol. Se não der gol, aparece para a assistência. Não sabia que era tão assistente assim. Ele abre espaços e é o maior assistente da Liga dos Campeões, tem essa capacidade de passe... Acho que é o maior assistente das Eliminatórias", disse Tite ao LANCE!.

Neymar Brazil Paraguay

(Foto: Getty Images)

Confira abaixo outros pontos da entrevista:

Chegou a imaginar tanto sucesso?

"Nem no melhor sonho me passaria pela cabeça algo assim. Se alguém me dissesse assim: "O enredo será você ser parte integrante de uma equipe, fazer uma campanha e classificar no estádio do clube que você estava, com a torcida lotando o estádio" eu iria dizer "não é possível". Foi a Rose que falou disso até, desse enredo bonito".

E o que fazer agora, até a Copa?

"São etapas, que passam, mas estão interligadas. Essa situação vai me permitir dar mais oportunidade a uma gama maior de atletas, inclusive com amistosos, para vermos como responde um atleta que não foi convocado ainda. É oportunidade, não teste, não gosto desta palavra, não vou testar. É oportunidade para atletas de alto nível. Na última convocação falei que estávamos monitorando 56. E nós, eu e o Edu Gaspar, estamos indo para a Europa, o Matheus e o Fernando, vão para a China, para ver Alex Teixeira, Renato Augusto, Paulinho, Ricardo Goulart".

"Está indo para o Leste Europeu o Tomas, que fala um pouquinho russo, e o Cleber Xavier, para acompanharem Taison, Giuliano e outros atletas de lá. Para que? Termos o acompanhamento presencial e também por vídeo. Todos esses atletas têm seus principais lances para eu ver a decupagem, observar e monitorar. "Ah, o Rafinha voltou a jogar". Tenho. "O Fabinho" Tenho. "O Alan, do Napoli". Tenho!".

Pensa em testar alternativas táticas no Brasil?

"Sim. 4-2-3-1 ou duas linhas de quatro com dois atacantes. O que acredito como ideia: consolida uma estrutura e depois estabelece variação, não o contrário. Senão fica "muda, muda, muda" e tira a sincronia, o jogar sem pensar, o automatismo. Muda um comentarista e um repórter na transmissão de jogo e você vai pegar eles falando ao mesmo tempo, porque não têm o hábito, não sabem a pausa, a respiração para entrar. Vejo isso também no futebol, principalmente no sistema defensivo. Muito dificilmente você verá eu mudar linha de quatro para linha de três, pois muda a cobertura, a coordenação de movimentos".

Tite Brasil Paraguai 28032017

(Foto: Getty Images)

Você pretende ir antes para a Rússia?

"Se estava de alguma forma me passando despercebido, agora, com a sua pergunta, vou dizer que sim. Porque preciso estar no ambiente. E paralelamente a isso, o Edu Gaspar tinha me passado que o consulado russo tinha colocado à disposição um professor para nós. Teremos aula de russo agora também. Por quê? Não vamos falar russo, não quero, não é minha pretensão. Mas desejo ser o mínimo educado, saber dizer um "bom dia", "boa tarde", para criar essa proximidade com o povo. Faz parte: estar lá e aprender um pouquinho".

Como é trabalhar com o Neymar?

"Às vezes a gente cria uma imagem estando distante, e quando vê de perto, são atletas que alto nível, que recebem uma pressão extraordinária. E uma expectativa grande de desempenho, de responsabilidades. Elas são muito fortes para um atleta que está se formando. Falo do Neymar, mas é Casemiro, Coutinho".

"Mas com o Neymar é muito tranquilo. Eu falo para ele: as pessoas precisam conhecer mais seu lado humano, você deixa os garotos que a gente convoca super à vontade. Ele brinca com a garotada, fico só observando. As pessoas precisam conhecer esse lado humano dele. Quando alguém é convocado pela primeira vez, o cara precisa cantar alguma música e fica todo mundo julgando. Trouxeram o preparador físico do Grêmio, o Rogério. Ele foi dançar a chula, começou a zoeira. Filmaram. Todo mundo começou a balançar um lenço branco. O Neymar foi um dos protagonistas da brincadeira! (risos)".

Quem deseja enfrentar antes do Mundial?

"Em vez da Argentina (em amistoso na Austrália, em 9 de junho), gostaríamos agora de enfrentar uma seleção europeia. Mas isso já estava acordado. Eu até falei com o Bauza (ex-treinador da Argentina) e ele concordou, porque já estamos nos enfrentando, seria mais interessante termos outros adversários. Na sequência teremos as principais seleções, que estão sendo trabalhadas para que possamos enfrentar. Nisso estão: França, Portugal, Alemanha, já confirmada, Bélgica, se for possível, todas do primeiro escalão, Itália, Espanha... Gostaria de enfrentá-las antes da Copa do Mundo".

Kylian Mbappe Isco France Spain Friendly 28032017

(Foto: Getty Images)

Quais as melhores seleções do mundo atualmente?

"Eu não tenho a profundidade para responder. Estava totalmente concentrado na classificação, nas seleções da América do Sul. Agora vai abrir o leque para estudar. Mas adianto que a França está com uma equipe jovem, fazendo transições com qualidade. Tem jogadores com virtudes, como Pogba e Matuidi. Tem uma Itália com história, a Espanha que se mantém apesar de mudanças, Alemanha que a gente acompanha, que saem jogadores mas a estruturação fica. A Bélgica! Nunca vi uma seleção deles com jogadores como Hazard, Nainggolan, Witsel, Kompany. É um time muito forte. Vou ter mais profundidade, assistir jogos das Eliminatórias da Europa".

Você já citou Ancelotti. Tem outro técnico que admira?

"Quando eu fui ver o Ancelotti, ele ganhou de 5 a 1 do Arsenal, mas não fez um grande jogo. Ele consolidou o Bayern, jogando muito. Qual é a ideia dele? Mais do que a equipe. É um time sólido, do meio para frente criativo e agressivo. Faz muito gol, mas o processo sem bola é consistente. É o único que foi tricampeão da Champions, o cara tem um lastro. Duas com Milan, uma com Real. Real era criativo e ofensivo. Ele conseguia fazer uma estruturação defensiva também".