Tite lamenta morte de Pelé e exalta feitos do Rei: 'Legado extraordinário'

Tite falou sobre a morte de Pelé nesta quinta-feira, dia 29 de dezembro de 2022 (NELSON ALMEIDA / AFP)


Edson Arantes do Nascimento, o Pelé, morreu nesta quinta-feira, dia 29 de dezembro, no hospital Albert Einstein, em São Paulo. Com 82 anos completados no último dia 23 de outubro, o Rei do Futebol estava internado desde o fim de novembro, mas teve falência múltipla dos órgãos em virtude de um câncer no cólon. O ex-técnico da Seleção Brasileira, Tite, lamentou a perda, prestou condolências aos familiares e exaltou o legado do eterno craque.

+ Pelé eterno! Relembre 20 declarações históricas sobre o Rei

- O impacto educacional e esportivo do Pelé é um legado extraordinário. À família Arantes do Nascimento, a nossa solidariedade e respeito. A ti, Pelé, a nossa eterna gratidão - declarou Tite.

O Atleta do Século XX estava internado devido à infecção respiratória e para a reavaliação do tratamento de um câncer no cólon. No entanto, na tarde desta quinta-feira, o hospital confirmou a morte do eterno craque, aos 82 anos, em virtude da falência múltipla dos órgãos. O mundo se despediu do maior jogador da história do esporte que move paixões e carrega multidões.

O velório está marcado para a próxima segunda-feira, a partir das 10h até às 10h de terça, na Vila Belmiro, e será aberto ao público. O enterro, porém, será restrito aos familiares, na terça, no Memorial Necrópole Ecumênica, também em Santos.

+ Romário se despede de Pelé: 'Fez o mundo se curvar diante do seu talento'

Ao longo do dia, diversas personalidades do Brasil e do Mundo deixaram mensagens sobre a morte do Rei. Os principais clubes do Brasil também publicaram, em suas redes sociais, despedidas e enalteceram a carreira e os feitos históricos do atleta do século XX.

Pelé começou em 31 de agosto de 2021 o jogo da sua vida contra o câncer. Foi nesta data que o maior ídolo do futebol mundial teve diagnosticado um tumor no cólon (intestino grosso) durante exames de rotina. Os procedimentos deveriam ter sido feitos pelo Rei no ano anterior, mas foram adiados por conta da pandemia da Covid-19. Neste ano, sofreu com complicações e depois de um mês internado, viu a doença se agravar. Então, o Rei não resistiu e se foi para a eternidade.