Tite guarda substituto de Jesus antes de decisão contra o Peru: 'Não vou falar porque é estratégia nossa'

·2 minuto de leitura


Em entrevista coletiva concedida na noite deste domingo, Tite não revelou o substituto de Gabriel Jesus, expulso contra o Chile, para a semifinal da Copa América contra o Peru. Além de comentar o confronto, o treinador do Brasil guardou o segredo da escalação.

Veja a tabela da Copa América

- Vamos ter composição com dois articuladores e dois médios. Essa é a ideia. Se ele é de lado, de centro, não vou falar porque é estratégia nossa. O que é mais importante é enaltecer o trabalho dessa equipe toda - disse o comandante do Brasil.

Para Tite, os jogadores mantém um certo padrão de jogo na Seleção e, por isso, muda os nomes de uma partida para outra.

- Tem o Everton, um pouco mais de força e imposição de chegada você tem o Paquetá. Fabinho e Casemiro, se quer um jogador com rodinhas você tem Fred, Douglas. Criar essas possibilidades é como vejo a equipe se fortalecer. Para usar alguns exemplos das variações em termos de escalação: tenho três zagueiros jogando muito. Militão jogando muito, Thiago, Marquinhos. Você tem um leque de opções, que nesse momento é fundamental à preparação de toda equipe e esses jogadores que têm feito muita diferença quando entram - falou Tite.

O treinador da Seleção Brasileira relembrou que o Peru é uma equipe que atuou bastante com o Brasil nos últimos tempos, incluindo na final da última Copa América.

- As duas equipes têm tradição de enfrentamento. Fizemos final, fase de grupos, Eliminatórias. Mas termina qualquer observação a partir daí, de prognóstico. Tudo é diferente, realidades, equipes, jogo "mata", nível de exigência muito alto. Jogar melhor para passar, isso que queremos e o Peru também - adicionou.

- Foram jogos muito difíceis, com exceção do primeiro jogo de 2019. Esse (último) foi 4 a 0, mas foi muito duro. Gols que deram o placar elástico foram no final. A gente conhece a seleção do Peru, eles nos conhecem. Trabalhamos hoje o último treinamento, com nossas estratégias ofensivas e defensivas. Eles perdem um jogador importante como o Carrillo, ganham outros como Peña e Lapadula. Mantêm jogadores experientes como Trauco, Yotún, Cueva. Equipe agressiva, com marcação média muito forte - apontou.

Por fim, Tite comentou sobre não acreditar na possibilidade de surpresas no confronto desta segunda-feira contra o Peru.

- Não acredito (em surpresa), nem a nosso favor nem contra. Quando se monta uma estrutura, tem detalhes específicos que com cinco minutos de observação você vai ajustar. O que tem é vantagem técnica, mais tempo, entrosamento da equipe. Entrosamento do técnico com a equipe, momento do atleta, qualidade técnica individual. Não acredito em nó tático. Quando foi a meu favor, não acreditei. Esse elogio para mim… você sabe que não é (verdadeiro). O que se tem é um agudo de um lado, dois atacantes centrais. É toda uma estrutura que a gente deve analisar, essas variáveis todas que são importantes em um jogo de futebol. Mais que tudo é um jogo mental, principalmente em jogo único - concluiu.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos