Tite explica comemoração em gol do Corinthians e revela desculpas a Dorival Júnior e ao presidente do Santos

Treinador deixa a zona de conforto e se torna o maior reforço na luta por uma reformulação

Durante entrevista coletiva concedida após o último treino da Seleção Brasileira antes do duelo desta terça-feira (28), contra o Paraguai, às 21h45 (de Brasília), na Arena Corinthians, pelas eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo de 2018, o técnico Tite aproveitou para explicar a comemoração que fez em um camarote do estádio no gol do Timão contra o Santos na vitória por 1 a 0, no último dia 4.

“Respeito todas as opiniões, todas, e não reputo. Apenas sou ser humano com gratidão ao Corinthians e às pessoas. Se fosse o Santos, faria exatamente a mesma coisa”, declarou.

“Liguei ao presidente do Santos me desculpando e pedindo que ele não interpretasse mal, mas como um ato humano de quem sente, de quem vibra, de reconhecimento a pessoas e clubes. Assim como liguei para o Dorival para que me entendesse e me perdoasse”, completou.

O treinador não gostou da insinuação de que gosta de convocar jogadores com quem já trabalhou no Corinthians, como Fagner, Paulinho, Renato Augusto, Gil e Marquinhos. "Às vezes você fica chateado, somos humanos. Quando alguém fala, pode me criticar um monte, mas falar que convocou porque é queridinho, não sabe como me dói. Sabe por quê? Não é legal, é dar privilégio", afirmou Tite.