Tite não se garante até a Copa de 2022

Goal.com
Sequência do trabalho de Tite, novidades e um recomeço para Neymar são algumas das atrações da Canarinho em território americano

Um panorama da Seleção Brasileira que vai encarar os Estados Unidos, em setembro

Sequência do trabalho de Tite, novidades e um recomeço para Neymar são algumas das atrações da Canarinho em território americano

Tite chegou à Seleção em um momento complicado. O Brasil enfrentava problemas nas Eliminatórias e vinha de fracasso na Copa América Centenário. Em pouco tempo, o treinador mudou o trabalho e fez com que a equipe chegasse à Copa do Mundo da Rússia em primeiro nas Eliminatórias e com pecha de favorito.

Com a derrota para a Bélgica nas quartas de final, Tite tem pela frente um novo ciclo, de olho no Mundial de 2022. A Copa América e as Eliminatórias são os objetivos entre isso, mas e a Olimpíada? 

"Não conduzimos a situação da Olimpíada, mas temos grande profissionais. Que conseguem acompanhar os atletas da base. Eu não vou. Buscando excelência, não dá para fazer", disse Tite depois de convocação nesta sexta-feira (17).

Nomes como Vanderlei Luxemburgo e Mano Menezes fracassaram em Jogos Olímpicos e viram suas trajetórias na Seleção principal se encurtarem com a ausência da medalha de ouro. Em 2016, nos Jogos do Rio, o Brasil ganhou o ouro com Rogério Micale no comando.

Portanto, o foco de Tite é o ciclo para a Copa do Catar, mas o treinador está ciente que vai precisar entregar bons resultados para seguir no cargo até 2022.

"No futebol você precisa de resultados e bom desempenho para essa projeção. Agora era: pegue o trabalho do início e faça. Se tivesse um ciclo completo, eu não estaria aqui", afirmou.

Leia também