Tite comanda treino secreto, mas equipe garante não ter nada a esconder

São Paulo, 26 mar (EFE).- A seleção brasileira treinou com portões fechados na Arena Corinthians neste domingo, em mais uma atividade de preparação para a partida contra o Paraguai na próxima terça-feira, pela 14ª rodada das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018, embora o técnico Tite não tenha muito a esconder.

No primeiro trabalho realizado no palco do jogo, Tite permitiu o acesso da imprensa durante apenas 20 minutos. Nesse pouco tempo, foi possível ver os jogadores brincando com a bola, trocando passes e exercitando-se em campo reduzido.

Como os titulares se misturaram com os reservas enquanto os jornalistas estiveram ao redor do campo, não foi possível saber se o treinador planeja alguma modificação em relação à equipe que bateu o Uruguai por 4 a 1 em Montevidéu na última quinta.

O zagueiro Marquinhos, que concedeu uma entrevista coletiva após o treino, explicou que a seleção não quer esconder nada, mas apenas treinar com tranquilidade.

"No futebol é difícil esconder alguma coisa hoje em dia. Mas não é que queiramos esconder, inclusive porque nosso estilo de jogo é conhecido. O motivo dessa decisão provavelmente foi o desejo de mais privacidade. Temos de nos concentrar no treino, e assim é mais fácil", afirmou o defensor do Paris Saint-Germain.

Marquinhos declarou que a partida contra os paraguaios é decisiva para a equipe pentacampeã mundial porque pode garantir a vaga na Copa de 2018 e por isso é importante que todos estejam focados.

Com sete vitórias nos sete jogos sob o comando de Tite, o Brasil lidera a classificatória sul-americana, com 30 pontos, e tem chances de ser a primeira seleção a confirmar presença na Rússia através das Eliminatórias.

A escalação para encarar o Paraguai, sexto colocado, dificilmente será uma surpresa. A comissão técnica já deixou claro que a única troca será a entrada de Fagner em lugar de Daniel Alves, suspenso. EFE

cm/dr

(foto) (vídeo)