Tite assina rescisão na CBF e deixa o comando da Seleção Brasileira


O técnico Tite teve o seu último ato como funcionário da CBF nesta terça-feira. Ele esteve na sede da entidade no Rio de Janeiro para assinar a rescisão de contrato após o período de férias. A informação foi publicada inicialmente pelo "ge" e confirmada pelo LANCE!.

+ Vaivém do LANCE!: confira todas transferências dos clubes brasileiros no Mercado da Bola

Além de Tite, outros cinco membros da comissão técnica da Seleção Brasileira estão de saída: Cleber Xavier, Matheus Bachi e César Sampaio (auxiliares); Thomaz Araujo e Bruno Baquete (analistas de desempenho).

No comando da Seleção após seis anos e meio, Tite somou 81 jogos: 60 vitórias, 15 empates e seis derrotas. Ele conquistou a Copa América, em 2019, e foi eliminado duas vezes nas quartas em Mundiais — Rússia e Qatar.

Tite
Tite

Tite comandou a Seleção no Qatar (Foto: NELSON ALMEIDA / AFP)

Nos próximos dias, Ednaldo Rodrigues, presidente da entidade, vai iniciar a busca por um novo técnico visando o próximo ciclo de Copa do Mundo. A entidade trabalha com a possibilidade de contratação de um nome estrangeiro, embora esbarre em alguns obstáculos, como a questão financeira e contratual de treinadores que estejam empregados.

+ Contas da Copa do Brasil: CBF notifica Klefer e cita 'usurpação de seguidores'

Em março, o Brasil tem a primeira Data Fifa após o fim da Copa do Mundo, enquanto as Eliminatórias do Mundial 2026 ainda não tem previsão de início.

Outra missão da entidade será escolher o novo coordenador para a vaga de Juninho Paulista, que também não seguirá na CBF em 2023.