Tirando férias do surfe

Yahoo Esportes


Se ficar na praia, se divertir e tomar sol é a rotina do surfista, como são suas férias? (Colin Anderson)
Se ficar na praia, se divertir e tomar sol é a rotina do surfista, como são suas férias? (Colin Anderson)


Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Por Emanoel Araújo

Com o ápice do verão no hemisfério norte acontecendo entre os meses de julho e agosto, a World Surf League, que tem sede na Califórnia, também aproveita para interromper as atividades do surfe de elite. O fim da etapa sul-africana, em Jeffreys Bay, e o início do evento em Teahupoo, no Taiti, no próximo dia 21, marcam a intertemporada.

Normalmente, férias são períodos de descanso que são lembrados por momentos com sol, praia e diversão. Mas e quem ganha a vida se divertindo em praias paradisíacas, em um verão que parece não acabar, faz o que nas suas férias?

Leia mais notícias de surfe no Yahoo Esportes

Escolhemos alguns surfistas para explicar que cada um aproveita de uma forma, mas todos tem algo em comum: não se afastam das ondas de jeito nenhum.

Gabriel Medina

Antes da pausa no Mundial de Surfe, Gabriel Medina voltou a ser o nome mais comentado da competição. A vitória em Jeffreys Bay ainda não o colocou entre os primeiros, mas com certeza o recolocou na briga pelo título.

Depois de rodar o planeta no primeiro semestre, você acha que o brasileiro voltou pra casa e foi curtir? Nada disso. Se o segredo é não desacelerar, Medina segue em modo competitivo até quando está de folga.


Entre compromissos comerciais, o sétimo colocado do ranking mundial aproveitou para matar a saudades do lugar que mais gosta de surfar. A praia de Paúba, na cidade de São Sebastião, garante tubos de até 2 metros de altura. Adivinha quem passou ‘seco’ por uma dessas morras de água?

“É um prazer competir em casa, ainda mais aqui em Paúba. Eu viajo o mundo inteiro e a minha onda favorita é essa daqui.”

Gabriel Medina – Campeão do Pauba Super Tubos 2019

John John Florence

Se quem está na corrida pelo título não dá uma pausa da competição, já imaginou quem estava a frente da corrida e tirou férias (forçadas) por tempo indeterminado?

Há pouco mais de um mês, John John Florence anunciava sua saída da temporada 2019 após uma nova lesão no joelho. Ainda sem previsão de retorno, o havaiano deixou claro que não é carta fora do baralho no momento mais esperado do surfe em 2020.

Em uma postagem enigmática em suas redes sociais, ele afirmou que já voltou para o surfe. O vídeo flagra o bicampeão mundial em um pranchão, apenas remando. Simples, mas eficiente. Três semanas após a cirurgia o havaiano deixou claro que já trabalha de olho na Olimpíada de Tóquio

 

Ver essa foto no Instagram
 

 Back in the water #tokyo2020

Uma publicação compartilhada por  John john Florence (@john_john_florence) em


Julian Wilson

Férias podem servir como períodos de auto-avaliação. Para o vice-campeão de 2018, o australiano Julian Wilson, a parada no calendário do Circuito Mundial serviu para filmar todas essas reflexões. The In Between series (“Entre as séries”) tem quatro episódios no Youtube e foi lançado durante as férias.

Os filmes têm, em média, oito minutos de duração no qual escancaram os problemas de um pai de primeira viagem. Além disso, o surfista explora os dilemas para conciliar o novo papel de pai de família com o surfista competitivo – que ele ainda não foi este ano. Com riqueza de detalhes na água, os episódios mostram uma parte nada glamurosa do esporte.


Owen Wright

Se você acredita que as férias são o momento perfeito para cuidar da sua vida pessoal e acertar as finanças, você simpatizará com as escolhas do australiano Owen Wright em seu tempo livre.

O surfista aproveitou a pausa para fechar um negócio excêntrico: por mais de 5 milhões de dólares, ele comprou uma modesta casa de madeira com apenas três dormitórios construídos na década de 70. O imóvel está a 300 metros da paradisíaca praia de Clarke, na Baía de Byron. Especula-se que a compra seja um investimento com a irmã – e também surfista – Tyler Wright para construção de uma casa luxuosa.

Casa modesta à beira-mar por ‘apenas’ US$ 5,1 milhões (realstate.comau)
Casa modesta à beira-mar por ‘apenas’ US$ 5,1 milhões (realstate.comau)


Leia também