Tio de Diego Costa diz que torcida o afastou do Corinthians

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Diego Costa esteve próximo de ser o camisa nove do Corinthians. Foto: Douglas Magno/AFP via Getty Images
Diego Costa esteve próximo de ser o camisa nove do Corinthians. Foto: Douglas Magno/AFP via Getty Images

Um dos nomes cogitados para o comando de ataque corintiano, o atacante Diego Costa, de 33 anos, esteve próximo do Corinthians, mas a negociação acabou não acontecendo. O presidente do clube justificou a não contratação pelos valores pedidos pelo atleta, mas uma nova versão apareceu nas últimas horas.

Em sua conta no Instagram, o tio do jogador, Jogner Costa, fez um desabafo explicando os motivos do sobrinho não acertar com o clube paulista.

Leia também:

Segundo Jogner, uma pesquisa realizada pela empresa que arcaria com os vencimentos do atacante, onde a torcida não se mostrou a favor da contratação, foi fator determinante para a mudança nos rumos da negociação.

“Quando foi para assinar, a empresa deu para trás, e Duilio disse que a empresa tinha feito uma pesquisa e que a torcida não queria Diego Costa no Corinthians”, afirmou Jogner.

O tio do atacante ainda afirmou que ele estava animado com a possibilidade de defender o Corinthians e que por isso ficou muito chateado com o desfecho do caso.

Em trecho do texto, Jogner desmentiu a especulação de que a família do jogador estivesse querendo ficar na Europa. “A família do Diego é toda de Sergipe. Ficou com ele quando esteve no Atlético-MG. Mentira da mídia que a família queria ficar na Europa. Ela quer ficar onde ele está jogando. Sempre o acompanhou, com o maior prazer”, explicou.

Livre no mercado após deixar o Atlético-MG, em comum acordo no início desta temporada, Diego era um dos nomes da diretoria corintiana que ainda sonha com um camisa nove de peso para a temporada.

O modelo da negociação envolvendo o jogador, teria uma parceria com uma empresa que arcaria com o salário que chegaria sem custos de transferência, modelo que vem sendo feito desde a chegada de nomes como Giuliano, Renato Augusto, Róger Guedes, Willian e Paulinho.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos