Tinga, ex-jogador, é próximo de Bolsonaro? O que faz o ex-volante de Grêmio e Inter?

Goal.com

Na última terça-feira (24), o presidente da República, Jair Bolsonaro, fez um pronunciamento sobre a crise causada pela pandemia do novo coronavírus e voltou a causar polêmica. No discurso, Bolsonaro comparou a covid-19 com uma “gripezinha”, disse que as escolas não deveriam permanecer fechadas e criticou os governos estaduais e a mídia pela “histeria”, segundo ele, causada na população. 

Após o ocorrido, inclusive, diversos clubes se uniram através das redes sociais para criar a campanha #FiqueEmCasa. Mas, além disso, um velho conhecido do futebol brasileiro foi ligado ao discurso do político. De acordo com a Folha de São Paulo, o pronunciamento foi elaborado em uma reunião do presidente com alguns membros de sua confiança e com o objetivo de polarizar o debate, tentando chamar o eleitorado bolsonarista para sair em defesa do presidente. Ainda segundo a Folha, um dos participantes da reunião foi Tinga, ex-jogador de Grêmio e Internacional. 

Já aposentado, Paulo César do Nascimento, o Tinga, possui enorme respeito das torcidas dos dois clubes gaúchos, pelos quais conquistou títulos importantes como a Copa do Brasil, pelo Grêmio, e a Copa Libertadores da América, pelo Inter. Mas o que ele estava fazendo em uma reunião da cúpula de Jair Bolsonaro?

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio
Tinga Cruzeiro
Tinga Cruzeiro
Foto: Washington Alves/Light Press/Cruzeiro

À Rádio Gaúcha, Tinga argumentou nesta quarta-feira que esteve no Planalto apenas para apresentar um projeto cultural de sua autoria e que não teve nada a ver com a elaboração do discurso proferido nesta terça-feira. Ele disse que foi apenas apresentado rapidamente a Bolsonaro, por isso apareceu na agenda oficial do presidente.

“Há duas semanas recebi uma ligação do ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, que queria conversar sobre futebol e questões sociais. Nesse mesmo dia, Lorenzoni me convidou a ir a Brasília para ouvir minha opinião sobre o tema”, disse o ex-jogador nesta quarta-feira.

Desde que abandonou os gramados, Tinga começou a estudar e fez cursos na CBF e na Universidade do Futebol. Chegou a ser gerente de futebol do Cruzeiro, em 2016, mas largou o cargo após pouco tempo, durante a gestão de Itair Machado.

Hoje, Tinga atua como professor em cursos online para formação de jogadores de futebol, tem uma agência de turismo, uma marca de roupas e percorre o país dando palestras para empresas. O projeto cultural e social apresentado a Jair Bolsonaro é só mais uma das frentes em que ele se envolve atualmente.

Leia também