Tina Black: conheça a lutadora carioca que venceu o preconceito para conquistar o cinturão do Invicta


Lutadora que vem ganhando destaque no MMA feminino, Valesca “Tina Black” Machado está escrevendo sua história nas artes marciais e conquistou, no último mês, o cinturão do Invicta FC, campeonato exclusivo para mulheres, depois de lutar e vencer duas vezes na mesma noite.

O crescimento das mulheres no esporte reforça o balanço do UFC, que registrou crescimento das mulheres no evento e surpreendeu com números que, por exemplo, pularam de 21 para 109 no total de atletas contratadas.

Valesca conta um pouco de sua história e as dificuldades em seus seis anos como lutadora profissional e se diz especialista em quebrar barreiras e preconceitos.

- É uma batalha muito grande, minha família nunca teve muito, sempre trabalhamos muito para sobreviver. Comecei nas artes marciais a convite do meu cunhado que dava aula de muay-thai em uma academia perto de casa. Relutei bastante para ir pela primeira vez, mas foi paixão à primeira vista. Naquela época, eu tinha muita coisa guardada dentro de mim e a luta foi essencial para que eu aprendesse a direcionar meus sentimentos ao lado correto, usar tudo ao meu favor - contou a atleta.

luta tina black
luta tina black

Tina Black falou sobre a luta contra os preconceitos (Foto: Divulgação)

Tina Black também destacou a luta contra os preconceitos e os obstáculos da carreira no MMA feminino.

- Para nós, mulheres, tem que remar muito mais. Temos que nos levar ao limite e, mesmo assim, ainda não temos o mesmo reconhecimento dos homens, embora estejamos conquistando um espaço que ninguém imaginava. E eu sou uma mulher preta e lésbica, os julgamentos e as oportunidades são distintos, por muito tempo me senti como se estivesse tentando nadar contrária a correnteza” – desabafou Valesca.

Agora, a lutadora pretende passar o final do ano se recuperando do ano de combates e só quer voltar aos octógonos em fevereiro ou março de 2023. Ela ainda contou que a repercussão da conquista de cinturão foi muito grande, mas quer provar sua capacidade e defender o título.

- Eu sou a campeã da categoria e não por causa de uma noite. Sou a melhor lutadora da divisão e vou provar isso em cada defesa que me propuserem. O Invicta me abraçou, me deu espaço e oportunidade, portanto mesmo que esteja aberta às oportunidades só vou pensar em qualquer mudança depois de defender meu cinturão e mostrar que o peso-palha do Invicta tem dona e vão ter que suar sangue para tirar de mim o que lutei tanto para conquistar - concluiu Tina Black.