Times de menor expressão lutam por vaga e contra seletiva no Carioca

Além dos confrontos envolvendo os quatro grandes times do Estado, equipes de menor investimento entram em campo neste domingo, às 16h(de Brasília), pela última rodada da fase de classificação da Taça Rio, segundo turno do Campeonato Carioca. Alguns lutam para não cair para a seletiva de 2018, enquanto que outros alimentam chances de disputarem as semifinais.

A seletiva é uma espécie de espaço intermediário entre a Primeira e a Segunda Divisão. Os dois últimos colocados na classificação geral, que leva em consideração o somatório dos dois turnos, se juntarão a Cabofriense e a Bonsucesso para disputarem esta etapa em 2018. O lanterna Macaé, com apenas um ponto, já está condenado, restando uma vaga.

Hoje esse vaga na degola seria do Resende, que tem oito pontos e enfrenta o Botafogo. Com nove pontos, também ameaçados, estão Bangu e Portuguesa. O Boavista, com 11 pontos, também corre risco.

Um empate diante da Portuguesa no Estádio Eucyr Rezende, em Saquarema (RJ), livra o Boavista. Mas por conta do esdrúxulo regulamento, o time ainda pode ir para as semifinais da Taça Rio, pois está com sete pontos no Grupo B, atrás de Botafogo e Nova Iguaçu, que somam dez pontos. Se os dois perderem e o Boavista golear a Lusa por quatro gols de diferença, o time de Saquarema avança. Já a Portuguesa escapa da degola com um triunfo.

A Portuguesa, porém, também pode ir para as semifinais, pois soma sete pontos no Grupo C, ao lado do Volta Redonda, que visita o já condenado Macaé no Estádio Los Lários, em Duque de Caxias (RJ). A Lusa precisa ganhar e torcer por tropeços de Voltaço e Vasco, que encara o Nova Iguaçu, para ir as semifinais. Já o Volta Redonda só precisa ganhar e torcer contra o Cruzmaltino.

No Estádio Aniceto Moscoso, no bairro de Madureira, no Rio de Janeiro (RJ), o Bangu busca a vitória para escapar da seletiva. Já o Tricolor Suburbano apenas cumpre tabela.