Bayern volta a golear Arsenal e confirma vaga nas quartas da Champions

Londres, 7 mar (EFE).- Mesmo com a vantagem de ter vencido o jogo de ida por 5 a 1 na Allianz Arena, o Bayern de Munique não economizou nos gols contra o Arsenal, repetiu o placar nesta terça-feira, em pleno Emirates Stadium, e se classificou para as quartas de final da Liga dos Campeões pela sexta vez seguida.

A partida em Londres pode ser dividida em duas. No primeiro tempo, os donos da casa foram mais objetivos, criaram as melhores oportunidades e fizeram 1 a 0, com Walcott. Na segunda etapa, porém, a expulsão de Koscielny logo no começo, por ter cometido um pênalti e exagerado na reclamação, e o consequente gol de empate de Lewandowski, mudaram o rumo da eliminatória.

A partir de então, os 'Gunners' perderam o poder de fogo, e o Bayern tomou conta da partida, marcando outros quatro gols e construindo o placar elástico. Vidal, duas vezes, Robben e Douglas Costa, uma cada, completaram a goleada.

O time alemão espera agora a realização do sorteio dos confrontos das quartas, marcados para o próximo dia 17. A equipe inglesa, por sua vez, recolhe os cacos da sétima queda seguida nas oitavas da 'Champions' e volta o foco para o Campeonato Inglês, em que é quinto colocado.

O Arsenal já vinha desfalcado do zagueiro Mertesacker, do volante Elneny e do meia Cazorla e ainda perdeu o também meia Özil, que, por causa de uma forte gripe, já desfalcou a equipe na derrota para o Liverpool por 3 a 1, no último sábado, pelo Campeonato Inglês, e nesta quarta só entrou no segundo tempo. Walcott foi o substituto do alemão.

No Bayern, Carlo Ancelotti não pôde contar com o lateral Lahm, capitão do time, que cumpriu suspensão, nem com o zagueiro Boateng, machucado. Rafinha e Javi Martínez foram os substitutos. Além disso, por opção, o italiano escalou Thiago Alcântara e Ribéry na linha de frente, deixando Müller e Douglas Costa no banco.

Logo que a bola rolou, a impressão que ficou foi a de que a equipe bávara precisava do resultado, já que sufocou o adversário. A primeira chance de gol, contudo, foi do Arsenal, aos 10 minutos. Walcott recebeu lançamento entre os zagueiros e ia ficando de frente para o gol, mas Neuer saiu bem e evitou o perigo. Dois minutos depois, Giroud ganhou de Hummels no alto e cabeceou na trave.

O Bayern ainda ficava mais com a bola, mas os 'Gunners' eram mais objetivos e com isso chegaram ao gol, aos 19 minutos. Walcott foi levando da ponta para o meio pela direita, invadiu a área e encheu o pé para vazar Neuer e fazer 1 a 0.

A resposta do time alemão foi dada aos 23, quando Lewandowski avançou com espaço e só parou na boa intervenção de Ospina. O atacante polonês estava em posição irregular, mas a arbitragem não flagrou o impedimento.

As oportunidades apareciam, mas os donos da casa vacilavam. Aos 27, depois do escanteio, Ramsey ficou livre com a sobra, mas pegou mal na bola e isolou. Na sequência, aos 33, em lance parecido com o do gol, Walcott voltou a progredir pela direita, mas nessa acertou o lado de fora da rede.

Depois de tanto tempo sem incomodar, a equipe visitante enfim deu o ar da graça no campo de ataque aos 37 minutos, com Lewandowski. Robben enfiou para o centroavante que, com espaço, pegou de primeira e mandou para fora.

O Bayern voltou melhor do vestiário e balançou as redes logo aos 3 minutos, com Hummels. Contudo, o lance foi corretamente invalidado porque o defensor estava impedido.

Aos 8, porém, o atual tetracampeão alemão praticamente deu fim à eliminatória. Em pênalti duvidoso em cima de Lewandowski, Koscielny levou cartão amarelo pela infração, reclamou muito e foi expulso. O próprio atacante polonês bateu e igualou.

O gol de empate e a expulsão representaram um balde de água fria em cima do Arsenal, que não teve forças nem ânimo para reagir. A essa altura, eram necessários quatro gols para levar o confronto à prorrogação. Porém, quem passou a acampar no campo de ataque foi o pentacampeão continental, que quase virou aos 18. Lewandowski foi acionado na área e bateu forte para defesa de Ospina.

Aos 22, porém, o goleiro colombiano falhou na saída de bola e acabou sofrendo o segundo gol. Robben aproveitou o erro, ajeitou de cabeça, deixou o marcador na saudade e, de frente para Ospina, bateu colocado para fazer 2 a 1.

O jogo então virou um treino de luxo para o Bayern, que acertou a trave aos 30 minutos. Douglas Costa, que entrou pouco antes no lugar de Robben, levantou da esquerda na medida para Lewandowski, que por muito pouco não marcou outro.

No jargão futebolístico, a porteira estava aberta, e o próprio Douglas Costa assinalou o terceiro, aos 32. O meia da seleção brasileira puxou o contra-ataque desde o campo de defesa, cortou da esquerda para o meio, no melhor estilo Robben, e arrematou no ângulo.

O placar se transformou em goleada dois minutos depois, quando Vidal deixou o seu primeiro. A defesa dos 'Gunners' errou de novo na saída para o ataque, o chileno aproveitou e, com categoria, tirou do goleiro para fazer o quarto.

O quinto também foi de Vidal, que voltou a balançar as redes aos 38. Renato Sanches esticou até Douglas Costa, que ficou de frente para o alvo, mas preferiu rolar. Sem goleiro, o ex-volante da Juventus apenas completou.

A partir de então, o Bayern diminuiu o ritmo. A equipe até manteve a bola sob controle, mas já não atacou com tanto ímpeto e ficou à espera do apito final.


Ficha técnica:.

Arsenal: Ospina; Bellerín, Mustafi, Koscielny e Monreal; Xhaka, Oxlade-Chamberlain, e Ramsey (Coquelin); Walcott, Sánchez (Lucas Pérez) e Giroud (Özil). Técnico: Arsene Wenger.

Bayern de Munique: Neuer; Rafinha, Javi Martínez, Hummels e Alaba; Vidal e Xabi Alonso; Robben (Douglas Costa), Thiago Alcântara (Kimmich) e Ribéry (Renato Sanches); Lewandowski. Técnico: Carlo Ancelotti.

Árbitro: Tasos Sidiropoulos (Grécia), auxiliado pelos compatriotas Damianos Efthimiadis e Polychronis Kostaras.

Cartões amarelos: Walcott, Koscielny, Oxlade-Chamberlain e Xhaka (Arsenal); Alaba e Javi Martínez (Bayern de Munique).

Cartão vermelho: Koscielny (Arsenal).

Gols: Walcott (Arsenal); Lewandowski, Robben, Douglas Costa e Vidal (2x) (Bayern de Munique).

Estádio: Emirates Stadium, em Londres (Inglaterra). EFE