Tiger Woods dá indício de que pretende se aposentar: ‘não me resta muita perna’

Tiger Woods deu a entender que não deve conseguir jogar por muito mais tempo. Um dos maiores golfistas de todos os tempos, ele afirmou que continua sofrendo com as dores decorrendo de uma lesão sofrida na perna direita. O 15 vezes campeão do Major (principais torneios do calendário do golfe mundial) retornou ao golfe no The Masters em abril, apenas 14 meses depois do acidente de carro que resultou na lesão que o afastou das competições oficiais.

Panorama Esportivo: CBF escolhe detentora dos direitos comerciais da Copa do Brasil

'Meu chão foi embora': Carol Solberg quebra o silêncio nas redes após a morte da mãe, Isabel Salgado

No último sábado, Woods desistiu de um torneio em Southern Hills depois de alcançar sua pior pontuação no evento. Antes do Hero World Challenge, que o golfista está disputando nas Bahamas nesta semana, ele já havia dado a entender que não disputaria mais muitos torneios.

— O objetivo é jogar os majors e talvez mais um ou dois. Fisicamente, isso é tudo que posso fazer. Não me resta muito nesta perna — desabafou.

Woods faria sua primeira aparição dessa “provável caminhada final” no Hero World Challenge, nesta semana, mas desistiu na tarde desta segunda-feira, depois de sofrer uma fascite plantar no pé direito. Desde então, ele revelou que a questão técnica não é o problema, mas, sim, “contornar o curso” (fazer os trajetos a pé ao longo dos torneios).

— Posso acertar qualquer tacada que você quiser, só não consigo andar. Tive alguns contratempos ao longo do ano, que de alguma forma ainda consegui superar. Mas este, eu simplesmente não posso. Só o tempo pode curar — reiterou.

Fórmula 1: Ferrari confirma saída do chefe da equipe após quatro temporadas

Ele acrescentou que conseguiu acertar diversos lançamentos, mas reiterou que caminhar é um desafio. Woods havia recusado propostas para usar um carrinho de golfe durante as competições, reiterando que nunca o faria no PGA Tour, que reúne os principais torneios do golfe mundial.

O golsfista disse que chegou a votar contra que outro golfista tivesse acesso a transporte em um carrinho, porque acreditava que isso interfere no desempenho dos atletas. Woods jogará no PNC Championship, evento com vencedores de majors e The Players Championship, com seu filho de 13 anos, Charlie, pela terceira vez. Ele revelou que pretende deixar Charlie fazer a maior parte do trabalho.

— A semana do pai e do filho será fácil. Charlie acertará todas as tacadas e eu tirarei as tacadas do buraco — disse.