Thiem derrota Zverev e vai enfrentar Djokovic na final do Aberto da Austrália

AFP
Dominic Thiem, da Áustria, comemora após a vitória contra o alemão Alexander Zverev durante a partida de semifinal de singulares masculinos no torneio Open Tennis da Austrália, em Melbourne
Dominic Thiem, da Áustria, comemora após a vitória contra o alemão Alexander Zverev durante a partida de semifinal de singulares masculinos no torneio Open Tennis da Austrália, em Melbourne

O austríaco Dominic Thiem (5º do ranking mundial) se classificou para a final do Aberto da Austrália ao derrotar nesta sexta-feira o alemão Alexander Zverev (7º) por 3-1, com parciais de 3-6, 6-4, 7-6 (7/3) e 7-6 (7/4).

Thiem, 26 anos, enfrentará o sérvio Novak Djokovic, número dois do mundo, na decisão do Grand Slam australiano.

O austríaco já disputou duas finais de Grand Slam, em Roland Garros 2018 e 2019, e foi derrotado nas duas oportunidades pelo espanhol Rafael Nadal, justamente o tenista que eliminou nas quartas de final da atual edição do Aberto da Austrália.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Em um duelo muito equilibrado de 3h42 de duração, Thiem foi capaz de virar a partida após perder o primeiro set. Zverev, que se mostrou brilhante em boa parte do jogo, pecou pela falta de consistência para aguentar um duelo de cinco sets contra um tenista mais experiente nesse nível.

Quatro anos mais velho que o alemão, Thiem se mostrou mais sólido e foi melhorando com o andar do jogo. Como já havia acontecido contra Nadal nas quartas de final, o austríaco manteve a serenidade para ganhar os pontos decisivos.

"Foi um jogo incrível, com dois tie-breaks, duro e muito apertado. Era impossível quebrar o saque dele. Estar na final é incrível, um grande início de temporada para mim", comemorou Thiem na entrevista pós-jogo dentro de quadra.

Considerado o herdeiro no saibro de Nadal, Thiem provou com a campanha em Melbourne que pode dominar em qualquer superfície, aparecendo como o principal candidato a destronar do topo do ranking Roger Federer, Nadal e Djokovic, os três tenistas que há mais de uma década dominam o circuito.

"Joguei quatro horas contra Rafa, o jogador mais intenso do torneio, foi duro e longo. Não foi fácil me recuperar. Mas quando a adrenalina voltou, quando eu estava vindo ao estádio, já fiquei bem, embora tenha tido alguns problemas no primeiro set", concluiu Thiem.

Leia também