Thiago Silva é o "monstro azarado"?; zagueiro tem, mais uma vez, sua liderança e estabilidade abalada

Thiago Silva é sem dúvida um dos zagueiros mais técnicos dos últimos anos. Apelidado de monstro, sua classe em campo impressionou o mundo inteiro. O jogador, que passou a chamar à atenção com a camisa do Fluminiense, teve uma passagem marcante pelo Milan, onde é lembrado com muito carinho pelos torcedores.

Ele era apontado como o sucessor de Lúcio com a braçadeira de capitão da Seleção, de fato foi. Thiago usou a faixa na Copa do Mundo de 2014, talvez a mais importante dos últimos anos. Foi a partir daí que sua carreira começou a mudar.

VEJA TAMBÉM:
Todos os gols de Ney em 2016/17 | CR7 perdeu milagre do Barça | Piqué aposta em bebês

Antes incontestável, Thiago Silva ficou marcado e foi duramente criticado ao se recusar a bater um pênalti e chorar, sozinho, antes das penalidades contra o Chile, nas oitavas de final. 

Até hoje esse fato gera discussão, se foi uma ato de "covardia" ou um ato de quem tem amor à camisa. Independente do que tenha sido, um capitão não pode se portar desta maneira, de forma alguma.

Thiago Silva 2014


(Foto: Getty Images)

Para completar, o zagueiro não esteve no fatídico 7 a 1 e o que poderia ter sido um "livramento" voltou a se tornar crítica, já que ele levou o segundo cartão amarelo ao impedir uma reposição de bola dos colombianos, adversários do Brasil nas quartas de final.

Desde então, Thiago passou a ser marcado como descontrolado e mentalmente fragilizado. No ano seguinte, a ressaca da Copa do Mundo afetou a Seleção já comandada pelo técnico Dunga.

Na Copa América de 2015, Thiago Silva foi o autor do pênalti que abriu o caminho para o Paraguai empatar a partida e, nas penalidades, eliminar a Seleção Brasileira da competição ainda nas quartas de final.

Thiago Silva Brazil Venezuela Copa America 21062015


(Foto: Agência Uno)

Mesmo diante disso tudo, o Monstro seguiu com prestígio na Europa e um dos líderes do PSG, time que depois de todo investimento que recebeu almeja mais do que tudo ganhar a Champions League.

Mas as boas campanhas na Champions não chegaram, eliminações para Chelsea, Manchester City e Barcelona que até a última quarta-feira tinha sido duas vezes tiraram a fé do time parisiense. 

Até que nesta temporada, o time de Unai Emery foi sorteado para enfrentar, outra vez, o Barcelona. Valente, num Parque dos Príncipes lotado, a performace do PSG foi impressionante aplicando 4 a 0 para cima do algoz catalão.

Edinson Cavani PSG Champions League


(Foto: Getty Images)

E por incrível que pareça, o zagueiro, o capitão do time, Thiago Silva não estava em campo. Ele foi cortado da partida um dia antes por conta de uma lesão que causou polêmica na imprensa parisiense. Apesar de sentir dores, o exame não apontou exatamente nada e, por isso, foi chamado de "amarelão" por parte da imprensa.

Antes do duelo da volta no Camp Nou, a internet já explodia em brincadeiras dizendo que se o brasileiro entrasse em campo era possível que o Barcelona revertesse o placar. Por incrível que pareça o time catalão venceu por 6 a 1 e conquistou a classificação eliminado o PSG.

A atuação de Thiago Silva não foi boa, o zagueiro assim como Marquinhos teve grande dificuldade para marcar o trio MSN. Ao término da partida, outra vez, a imprensa parisiense crucificou o brasileiro dizendo que Thiago é desequilibrado e que não tem condições de ser líder. Seria mais uma vez o acaso aprontando com o jogador?

Neymar Thiago Silva Barcelona PSG 08032017


(Foto: Getty Images)

A verdade é que antes, Thiago Silva tinha tudo para entrar na história como um dos grandes ídolos do PSG, agora, sua permanencia no clube é discutada através da imprensa e de parte da torcida. Como pode um jogador com tanta qualidade se vê no olho do furacão tantas vezes?

Uso a frase do colega Robin Bairner, "grandes capitães tiram o melhor dos companheiros em momentos de adversidade e Thiago Silva não pode sequer tirar o melhor de si mesmo". Talvez o peso de uma faixa seja pesado demais, talvez Thiago seja "azarado" ou simplesmente os deuses do futebol estão aguardando algo grandioso para que essa história termine incrível como aqueles roteiros que só o esporte pode nos proporcionar.