Thiago Rodrigues oscila no Vasco e chega pressionado em decisão na Série B


Na derrota do Vasco para o Sampaio Corrêa, por 3 a 2, na última quinta-feira, em São Januário, Thiago Rodrigues sofreu com as vaias dos torcedores que o apontaram como o grande vilão da partida. O goleiro não cometeu falhas gritantes nos gols, mas a impaciência da arquibancada se explica pela trajetória do jogador durante toda a Série B.

No primeiro turno o Vasco se notabilizou por ter um sistema defensivo sólido e quando o adversário chegava com perigo, Thiago Rodrigues salvava o time com defesas importantes. Essa foi a tônica do time, que sofria poucos gols e vencia por 1 a 0. Foi dessa forma que o goleiro se consolidou como um dos destaques da Série B, apontado por muitos como o melhor da posição na primeira metade da competição.

Já no segundo turno, a defesa caiu de rendimento e Thiago Rodrigues foi junto. O goleiro passou a sofrer gols defensáveis, considerando as próprias intervenções feitas em partidas recentes. A saída de bola com os pés, uma das características positivas de jogador, deu lugar à insegurança, causando temor ao torcedor a cada recuo da zaga.

+ Vasco é o 4º da Série B; confira a classificação

A falta de reflexo nas derrotas para Grêmio e Cruzeiro, que contaram com desvios de companheiros, somada com os gols sofridos em chutes de fora da área fizeram com que o torcedor vascaíno duvidasse da capacidade de Thiago Rodrigues. A desconfiança sobre o goleiro nunca foi tão grande e chega forte justamente na véspera do jogo mais importante da temporada.

No próximo domingo, o Vasco enfrenta o Ituano, no Novelli Júnior, em Itu, pela última rodada da Série B, um confronto direto pelo acesso. O Cruz-Maltino sobe até mesmo com um empate, mas se perder, vai depender de uma combinação improvável de resultados para estar na Série A no ano que vem.

Portanto, se Thiago Rodrigues não sofrer gol, o Vasco garante o objetivo e retorna para a elite do futebol brasileiro. Vale lembrar que existe uma cláusula no contrato do goleiro de renovação automática por mais um ano, caso o Cruz-Maltino conquiste o acesso. É a chance de redenção para um jogador que já esteve em alta, mas hoje convive com pressionado com um possível fracasso do time.