Thiago Braz almeja final do salto com vara em Pequim

Thiago Braz, uma das esperanças de medalha do país no Mundial de Pequim

Promessa do atletismo brasileiro, Thiago Braz, uma das esperanças de medalha do país no Mundial de Pequim, prefere não estabelecer metas muito ambiciosas, e disse à AFP que ficaria satisfeito com a classificação na final do salto com vara.

"Não quero falar em medalhas. Quero focar em fazer bons saltos. Meu objetivo é estar na final e estar entre os oito melhores. Se conseguir isso, já vou ficar muito feliz", afirmou.

O paulista de 21 anos é uma das figuras emergentes da modalidade, e vem treinando na Itália com o técnico Vitaly Petrov, que já trabalhou com lendas como o ucraniano Serguei Bubka e a russa Yelena Isinbayeva.

Thiago ostenta a quarta melhor marca do ano, com os 5,92 m que saltou em Baku, no Azerbaijão, quando quebrou o recorde sul-americano.

- Sem medo de Lavillenie -

Na capital chinesa, ele disputará seu segundo Mundial ao ar livre, depois da edição de Moscou-2013, quando foi eliminado na fase classificatória.

No Mundial indoor de Sopot, no ano passado, ficou à beira do pódio, na quarta posição.

Em Pequim, o brasileiro enfrentará forte concorrência. "Há muitos candidatos ao pódio. Renaud Lavillenie, Raphael Marcel Holzdeppe, Konstantinos Filippidis, Shawnacy Barber", citou.

O grande favorito é sem dúvida o francês Lavillenie, atual campeão olímpico, recordista mundial indoor (6,16 m) e dono da melhor marca do ano (6,05 m).

A segunda melhor marca é do alemão Holzdeppe (5,95 m), seguido pelo canadense Barber (5,93).

Lavillenie tentará conquistar o único grande título que falta para sua carreira, depois de bater na trave três vezes, com o bronze em Berlim-2009 e Daegu-2011, e a prata em Moscou-2013.

"Lavillenie é muito forte, mas não é invencível", sentenciou Thiago.

- Elogios de Murer -

O salto com vara é a grande esperança do Brasil em Pequim, com Fabiana Murer chegando forte também no feminino.

Se o pódio não vier, o Brasil corre sério risco de ficar sem medalha, como aconteceu na última edição, em Moscou-2013.

A veterana de 34 anos é a única campeã mundial da história do país, com o título conquistado em Daegu-2011, e serve de inspiração para Thiago.

"Ela pode conquistar mais um ouro se tiver um bom dia", avisou o atleta.

Fabiana disse à AFP que enxerga um belo futuro para o jovem paulista.

"Thiago é um atleta novo, que está crescendo muito, e melhorou muito seus resultados. Ele tem chance de medalha, e eu também. É um atleta muito importante, que também vai buscar o pódio", comentou.

A fase de classificação da competição de salto com vara masculino começa logo neste sábado, com a final marcada para segunda-feira.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos