Textor, sobre vendas de uniformes do Botafogo: 'Quando tiverem qualidade que nossos coproprietários merecem'

·1 min de leitura
Camisa temporária do Botafogo (Foto: Vítor Silva/Botafogo)


A camisa do Botafogo passa por significativas mudanças. Quando chegou, John Textor rompeu com praticamente todos os patrocínios que o Alvinegro tinha em busca de valorizar os espaços e buscar novos acordos comerciais ao clube. O resultado foi um uniforme "limpo", praticamente liso e apenas com o escudo.

+ Garçom! Daniel Borges, do Botafogo, alcança temporada com mais assistências da carreira

O enxoval foi produzido de maneira temporária pela WEV, marca contratada apenas para produzir essas camisas. Nas redes sociais, torcedores ficaram na curiosidade se os modelos seriam colocados à venda.

John Textor, via redes sociais, reafirmou que os uniformes foram produzidos apenas como uma forma de "tapar buraco" e que as camisas que serão disponibilizadas aos torcedores serão as pensadas e desenvolvidas. O norte-americano tem conversas com marcas para estampar o Alvinegro.

– Divertido... Elas (camisas temporárias) parecem boas, mas foram feitas e produzidas de forma rápida por um parceiro... Quando o modelo final tiver o design, for fabricado e tiver os detalhes finais de qualidade que os nossos coproprietários (torcedores) merecerem, aí sim ficarão disponíveis para venda - escreveu Textor, no Twitter.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos