Testes contra europeus? Seleção Brasileira tem vários 'veteranos' no futebol da Europa


A Seleção Brasileira se prepara para iniciar a disputa da Copa do Mundo do Qatar, na qual estreia no dia 24, diante da Sérvia, às 16h (de Brasília). Depois, ainda pela fase de grupos, o Brasil enfrenta a Suíça (dia 28), ou seja, pega dois europeus. Desde o último Mundial, o time de Tite enfrentou apenas uma seleção europeia. Isso, no entanto, não preocupa jogadores e comissão técnica, que confiam na experiência do grupo atuando há anos no Velho Continente.


> Seleção convocada! Veja os escolhidos de Tite para a Copa
> Veja a tabela da Copa do Mundo-2022 clicando aqui


Um dos grandes questionamentos sobre o Brasil nesse último ciclo de Copa foi a falta de adversários europeus. A única vez que isso ocorreu desde a eliminação na Rússia, em 2018, foi diante da República Tcheca, em março de 2019, com uma vitória por 3 a 1. A razão para essa falta de embates com seleções europeias é o calendário da Uefa nas datas Fifa, que impedem amistosos.

Apesar de admitir que isso prejudica a Seleção, Tite sabe que conta com jogadores que constantemente enfrentam desafios no mais alto nível do futebol. Os próprios atletas em diversas entrevistas já afirmaram que essa falta de amistosos contra europeus pode ser compensada com a experiência que eles mesmos têm no continente.

- Como a maioria dos jogadores vêm da Europa, já estão acostumados com a ideia, com o tipo de futebol. A necessidade de se jogar contra um time europeu na preparação não é tão importante. Vai da necessidade de jogar contra outros tipos de escola, mas por termos muitos jogadores na Europa há muitos anos, diminui muito a diferença. Acho que a gente está mais que preparado para enfrentar qualquer equipe do mundo - disse Danilo em coletiva na última terça.

E eles tem razão. Não apenas pela óbvia maioria de jogadores que atuam por lá (22 dos 26 convocados), mas principalmente pelo tempo que eles estão vivendo essa realidade europeia. O menos experiente na Europa tem dois anos e meio no continente. Trata-se de Antony, que na última janela trocou o Ajax-HOL pelo Manchester United-ING.

Vale destacar que Weverton (Palmeiras) e Everton Ribeiro (Flamengo) nunca tiveram uma experiência europeia. Pedro (Flamengo), por sua vez, passou cerca de quatro meses na Fiorentina-ITA, mas não entra para a conta daqueles que seguem atuando no Velho Continente.

Barcelona x Atlético de Madrid - Daniel Alves
Barcelona x Atlético de Madrid - Daniel Alves

Daniel Alves jogou 17,5 anos na Europa (Foto: LLUIS GENE / AFP)

O mais experiente de todos os convocados é, obviamente, Daniel Alves. Apesar de não estar atuando na Europa (hoje está no Pumas-MEX), o lateral jogou por lá durante 17 anos e meio passando por clubes como Sevilla-ESP, Barcelona-ESP, Juventus-ITA e PSG-FRA.

Quem também tem uma longa trajetória no futebol europeu é Thiago Silva. Foram duas passagens por lá: a primeira de apenas um ano (Porto-POR e Dinamo de Moscou-RUS), que não teve sucesso por conta de problemas de saúde, e a segunda que dura até os dias atuais que já soma 14 anos (Milan-ITA, PSG-FRA e Chelsea-ING), ou seja, são 15 anos de Europa, sendo esses últimos em altíssimo nível.

Ederson, Danilo, Alex Sandro, Marquinhos e Fabinho já têm mais de dez anos jogando no futebol europeu. Fred, Neymar e Casemiro irão completar esses dez anos na metade de 2023. Alex Telles, por sua vez, já tem nove anos de Velho Continente em seu currículo.

Os mais jovens dessa Seleção, que são Rodrygo, Martinelli e Vini Jr., já estão na Europa há um tempinho. O ex-Flamengo é o mais experiente, com quatro anos e meio por lá, enquanto o ex-Santos e o ex-Ituano atuam em território europeu há três anos e meio.

Assim, se depender da expertise desse grupo em futebol da Europa, Tite pode ficar tranquilo quanto aos amistosos que não pôde ter contra seleções de lá. Apesar das últimas quatro eliminações em Copas terem sido para europeus, a união dessa experiência com um trabalho de seis anos pode fazer a diferença para o Brasil no Qatar.

Confira o tempo de Europa de cada jogador da Seleção:

Alisson - Liverpool-ING - 6,5 anos
Weverton - Palmeiras - Nunca atuou na Europa
Ederson - Manchester City-ING - 13 anos
Danilo - Juventus-ITA - 11 anos
Daniel Alves - Pumas-MEX - 17,5 anos
Alex Sandro - Juventus-ITA - 11,5 anos
Alex Telles - Sevilla-ESP - 9 anos
Thiago Silva - Chelsea-ING - 15 anos
Marquinhos - PSG-FRA - 10,5 anos
Éder Militão - Real Madrid-ESP - 4,5 anos
Bremer - Juventus-ITA - 4,5 anos
Casemiro - Manchester United-ING - 9,5 anos
Paquetá - West Ham-ING - 4 anos
Fred - Manchester United-ING - 9,5 anos
Fabinho - Liverpool-ING - 10,5 anos
Bruno Guimarães - Newcastle-ING - 3 anos
Everton Ribeiro - Flamengo - Nunca atuou na Europa
Richarlison - Tottenham-ING - 5,5 anos
Neymar - PSG-FRA - 9,5 anos
Raphinha - Barcelona-ESP - 7 anos
Antony - Manchester United-ING - 2,5 anos
Gabriel Jesus - Arsenal-ING - 6 anos
Vini Jr. - Real Madrid-ESP - 4,5 anos
Rodrygo - Real Madrid-ESP - 3,5 anos
Martinelli - Arsenal-ING - 3,5 anos
Pedro - Flamengo - 4 meses