Testemunha do caso Daniel Alves diz que também teria sido assediada pelo jogador

Daniel Alves esta detido em prisão espanhola após acusação de agressão sexual (Foto: Douglas Magno/AFP)


O caso de Daniel Alves na Espanha ganhou um novo capítulo nesta terça-feira. Uma amiga da suposta vítima afirmou que foi apalpada violentamente pelo brasileiro durante a festa onde teria ocorrido o crime de agressão sexual. A jovem, de 23 anos, que acusa o lateral de ter a violentado, estava acompanhada de duas amigas no evento.

Segundo os relatos de uma delas, Daniel chegou a tocar nas suas partes íntimas sem a autorização. A amiga afirmou que o jogador só parou com o ato quando ela conseguiu se desvencilhar do assédio. Logo após o ocorrido, ela teria ido embora do local.

+ Ferj se desculpa por 'problemas técnicos' durante transmissão do Carioca na Band

Segundo a apuração do jornal "La Vanguardia", o relato da testemunha coincide com a descrição feita pela suposta vítima, que afirmou ter visto a abordagem do brasileiro. O portal teve acesso aos documentos do caso. A jovem, denuncia Daniel Alves de ser abusada sexualmente em banheiro da casa noturna Sutton, localizada em Barcelona.

- Foi quando percebi como ele tocava minhas amigas e o quanto estava próximo - diz parte do depoimento da testemunha.

+ Influenciador gera debate na web ao comentar 'melhor batedor de falta da história'


Garçom

Ainda segundo a apuração do jornal espanhol, um garçom da área vip da boate tentou convencer as três mulheres a sentarem na mesa do jogador. De acordo com os depoimentos, a abordagem foi feita "com demasiada insistência".

Daniel Alves está preso preventivamente desde a última sexta-feira, após prestar depoimentos contraditórios sobre a acusação do crime. Ele é investigado por suspeita de crime de agressão sexual pela justiça espanhola e está detido no presídio Brians 2.