Tesouro? Poupança? Saiba onde investir com a Selic baixa

Yahoo Finanças

A taxa básica de juros, a Selic, está em 5% e deve cair em dezembro para 4,5% ao ano – o menor patamar histórico –, incentivada por um cenário de inflação e crescimento econômico baixo. Para quem investe ou tem uma reserva de emergência, é preciso reavaliar o melhor lugar para colocar seu dinheiro.

SIGA O YAHOO FINANÇAS NO INSTAGRAM

BAIXE O APP DO YAHOO FINANÇAS (ANDROID / iOS)

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Com a queda da Selic, os rendimentos da poupança vão passar de 3,5% para 3,15% ao ano. Já a inflação, calculada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), deve fechar 2019 em 3,31% e 2020, em 3,60%, de acordo com estimativas do mercado financeiro.

Leia também

Com os juros em baixa, o investidor verá os rendimentos serem corroídos por taxas e impostos. Mas quais seriam as melhores alternativas? Confira a seguir. As informações são do Valor Investe.

Tesouro Selic

Considerado a principal alternativa à poupança, o título público Tesouro Selic rende próximo ao CDI (Selic + 0,02% ao ano) e é uma das aplicações menos arriscadas disponíveis no mercado hoje. O investidor empresta dinheiro ao governo, e não corre o risco de vender o título por um preço abaixo do que comprou.

A liquidez é diária — a qualquer momento o investidor pode pedir o resgate e o dinheiro cai na conta no máximo no dia seguinte. O valor de aplicação mínima é de R$ 103,98.

Fundos Tesouro Selic taxa zero

Essa é a opção menos custosa para aplicar em títulos públicos. A liquidez permanece diária e há cobrança do Imposto de Renda, que só não é cobrado na poupança.

Poupança velha

Desde maio de 2012 a regra da poupança mudou, e quem tinha dinheiro aplicado antes da mudança de regra, teve assegurado o mesmo rendimento pela regra antiga: de 0,50% ao mês mais TR (hoje em zero).

Com isso, a chamada velha poupança rende muito próximo ao CDI e com a vantagem de não ter incidência de Imposto de Renda, o que lhe dá um bônus. Porém, essa regra só vale para quem já tinha o dinheiro na caderneta em maio de 2012 – depois dessa data vale outras taxas.

CDB (Certificado de Depósito Bancário)

O CDB é uma espécie de título que os bancos emitem para se capitalizar. Na prática, quem compra o certificado está emprestando dinheiro para o banco e, em troca, vai ganhar juros por isso, normalmente definida como um percentual do CDI — "X% do CDI’ — com um prêmio além do "CDI + X% ao ano".

Conta de banco digital com remuneração 100% do CDI

As fintechs e diversos bancos digitais estão oferecendo opções de rentabilidade 100% do CDI para o dinheiro parado na conta-corrente.Como a Selic e o CDI são sempre muito próximos, na prática, qualquer opção que renda mais de 70% do CDI já é mais rentável que a poupança

Fundos de Renda Fixa

Outras opções em renda fixa com liquidez diária são os fundos de gestão ativa que operam as oportunidades no mercado financeiro, incluindo diferentes títulos do Tesouro e contratos futuros de DI e, assim, conseguem entregar retornos superiores ao CDI em períodos de um ano ou mais.

Fundos de Crédito Privado

Há também os fundos de crédito que investem em CDBs, LCIs, LCAs, CRIs, CRAs e debêntures de empresas com alta qualidade de crédito. Nesses casos, além do risco de mercado, há o risco de crédito, que é a possibilidade de perdas por piora da situação financeira e econômica dos emissores desses títulos.

Tesouro IPCA+ 2024

Este papel oferece ao investidor um retorno atrelado à inflação. Os títulos do Tesouro IPCA+24 podem ser encontrados com vencimento entre 2024 e 2050, com a opção de receber juros semestrais ou no final do período.

Leia também