A terra do surfe tem sua própria Olimpíada

Yahoo Esportes
Makaha é o lugar no Havaí onde a cultura local foi mantida (Allen Mozo)
Makaha é o lugar no Havaí onde a cultura local foi mantida (Allen Mozo)

Por Emanoel Araújo e Guilherme Daolio

Desde sua fundação como nação, a história do Havaí tem uma forte ligação com o mar. A cultura foi difundida pelo mundo em forma de surfe. Mas a colonização do homem branco escanteou a cultura local.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Literalmente, os nativos foram colocados de um lado da ilha. No leste da ilha de Oahu, o distrito de Makaha é o local dos nativos e, não por acaso, abriga uma das maiores e melhores tradições do surfe mundial.

As Olimpíadas do Surfe, como o festival é conhecido no Havaí (Reprodução)
As Olimpíadas do Surfe, como o festival é conhecido no Havaí (Reprodução)

O homem que dá nome ao torneio é um descendente direto dos nativos da ilha. Buffalo Keaulana tem sua biografia confundida com a própria história da ilha.

Surfe e Diversão

Tudo começou em 1976, quando o timoneiro da Hokulea, uma república das embarcações que seus antepassados usaram para explorar as milhares de ilhas polinésias.

Após 35 dias guiado pelas constelações, como seus ancestrais, Buffalo retornou querendo fazer algo pela própria história. Dessa vez, ele mergulhou na cultura havaiana e organizou o 1º campeonato de surfe com pranchões (até 4 metros). O Buffalo’s Big Board Classic era diferente de outros campeonatos.

Para começar, a sua 1ª edição sequer teve um vencedor. O campeonato revela o melhor do que há de melhor no surfe. Afinal, nas “Olimpíadas do Surfe”, o melhor atleta é aquele que mais se diverte.

A 1ª edição do torneio só teve vencedores: o espírito “Aloha” no pódio (Arquivo)
A 1ª edição do torneio só teve vencedores: o espírito “Aloha” no pódio (Arquivo)

Evento Social

Se o 1º campeonato terminou em apenas um dia, a última edição foi realizada em duas semanas do mês de fevereiro. Ao longo dos anos, Buffalo transformou o distrito de Makaha em um lugar melhor para se viver.

E tudo começou com uma regra aplicada pelo salva-vidas que fazia as vezes de xerife do local. Keaulana proibiu assaltos ou roubos nos dias de evento.

“Sem roubos por dois dias era a lei. Eu queria que os garotos sentissem como se estivessem fazendo alguma coisa boa”

Buffalo Keaulana – idealizador do evento.

Tradição (Re)Inventada

Cultura havaiana ajusta passado (alaia) e futuro (SUP) para sobreviver ao tempo (Allen Mozo)
Cultura havaiana ajusta passado (alaia) e futuro (SUP) para sobreviver ao tempo (Allen Mozo)

O nome das “Olimpíadas do Surfe” remetia ao esporte em pranchas grandes. Assim, os atletas competem entre categorias que dizem respeito àquilo que há de mais moderno – como os pranchões de SUPsquatch – em paralelo com o que há de mais tradicional. Seguindo o objetivo de resgatar a história, as alaias (pranchas feitas de madeira nobre), que eram concedidas apenas à monarquia havaiana, se tornou uma categoria.

No Buffalo’s Big Board Classic, cultura e modernidade renderam novas formas de se divertir no mar como o Stand Up Padle. Antes chamados de Beachboy Style, os SUP’s tiveram projeção nas “Olimpíadas do Surfe” e ganharam o mundo nas últimas décadas.

A competição inteira é guiada pelo espírito Aloha, na qual os havaianos acreditam. Para eles, as boas energias que habitam a praia de Makaha fazem o surfe parecer o que sempre foi: um esporte coletivo e de celebração.

 

 

Leia também