Terceiro combate Fury x Wilder será adiado por covid-19

·1 minuto de leitura
Los boxeadores Tyson Fury (izquierda) y Deontay Wilder (R) en la rueda de prensa de presentación del combate el 15 de junio de 2021 en Los Ángeles.

Um surto de contágios de covid-19 na equipe do britânico Tyson Fury, incluindo o próprio lutador, obrigará o adiamento do combate de julho contra o americano Deontay Wilder pelo título dos pesos pesados da CMB - informou o canal ESPN nesta quinta-feira (9).

A rede de esportes americana, que tem direitos de pay-per-view para a luta junto com a Fox, disse que "várias pessoas da equipe de Fury testaram positivo", incluindo o próprio boxeador, que provavelmente retornará à Inglaterra.

A luta, marcada para 24 de julho em Las Vegas, Nevada, pode ser remarcada para 9 de outubro, disse a ESPN.

Horas antes, a promotora Top Rank disse em um comunicado que continua a "monitorar a saúde de Tyson e sua equipe e o status do evento não mudou até agora".

Fury, campeão invicto do Conselho Mundial de Boxe (WBC) (30-0 e 21 nocautes com um empate) derrotou Wilder após sete assaltos em sua segunda luta em fevereiro de 2020.

Sua primeira luta, em dezembro de 2018, terminou em um empate polêmico por decisão dividida depois que Fury foi derrubado duas vezes.

O britânico estava se preparando para uma luta de unificação contra o compatriota Anthony Joshua (24-1 e 22 nocautes), campeão dos pesos pesados da Associação Mundial (WBA), da Federação Internacional (IBF) e da Organização Mundial (WBO), até que um juiz decidiu em maio que ele estava contratualmente obrigado a enfrentar Wilder pela terceira vez.

bb/nr/gbv/rsr/mr

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos