Tenistas não vacinados poderão jogar Aberto da Austrália, diz premiê

·1 min de leitura
Aberto da Austrália, Melbourne

SYDNEY (Reuters) - O primeiro-ministro da Austrália, Scott Morrison, afirmou nesta quarta-feira (horário local) que jogadores de tênis não vacinados serão permitidos a entrar no país para disputar o Aberto da Austrália em janeiro se cumprirem uma quarentena obrigatória de duas semanas para evitar a Covid-19.

Os comentários de Morrison contradizem declarações de seu ministro da Imigração, Alex Hawke, que disse na semana passada que tenistas e outros atletas precisariam estar com as duas doses da vacina para entrarem no país.

A declaração do primeiro-ministro é uma boa notícia para a Associação de Tênis da Austrália, que quer o número um do mundo, Novak Djokovic --além de outros jogadores importantes cujas situações vacinais não estão claras-- competindo no Grand Slam australiano.

"Todas as mesmas regras precisam se aplicar a todos", disse Morrison ao canal Seven News. "Seja você um vencedor de Grand Slam, um primeiro-ministro ou um viajante a negócios, estudante, ou quem quer seja. Mesmas regras. Os Estados irão estabelecer as regras de quarentena como estão".

O Estado de Victoria, onde fica o estádio Melbourne Park que sedia o Australian Open, certamente irá exercer as regulações de quarentena da maneira mais rígida possível.

O premiê de Victoria, Daniel Andrews, faz oposição veemente a deixar pessoas não vacinadas entrarem no país, mas disse na terça-feira que o Estado irá "administrar o risco" caso o governo federal decidir autorizar a entrada delas.

(Reportagem de Renju Jose e Nick Mulvenney)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos