Tenista acusa ex-vice primeiro ministro chinês de assédio sexual

·1 min de leitura
Shuai Peng chegou a liderar o ranking de duplas da WTA. Foto: Clive Brunskill/Getty Images)
Shuai Peng chegou a liderar o ranking de duplas da WTA. Foto: Clive Brunskill/Getty Images)

Um escândalo abalou as estruturas do esporte chinês nesta quarta-feira. A ex-líder do ranking mundial de duplas da WTA, Shuai Peng acusou Gaoli Zhang, ex-vice primeiro ministro da China de assédio sexual.

A tenista de 36 anos fez a acusação na rede social Weibo, único microblog permitido no país asiático, conhecido por muitos como o “Twitter chinês”. Minutos após a publicação, o post acabou censurado e retirado do ar, mas os prints e principalmente a publicação da jornalista japonesa Emily Peng, correspondente do canal de TV NPR em Pequim, fizeram o assunto rodar o mundo.

Leia também:

O caso vem à tona em um momento em que muitas mulheres chinesas também vêm se manifestando, mas acabam pressionadas pelas autoridades do país a apresentar provas comprovando as acusações.

Ao atingir diretamente um ex-político do alto escalão do Partido Comunista Chinês, o caso deve ganhar notoriedade. Peng alegou em depoimento que o assédio sexual ocorreu antes dela ter um relacionamento por vontade própria com Gaoli Zhang, de 75 anos. Na ocasião eles foram amantes e ela também alega não ter provas que comprovem o ocorrido.

Chinesa faturou Roland Garros e Wimbledon

Peng teve o melhor momento de sua carreira entre 2013 e 2014 quando conquistou dois títulos de Grand Slam (Wimbledon e Roland Garros), chegando ao topo do ranking da WTA em 2014. O último torneio oficial disputado foi em Doha, no começo do ano passado.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos