'Temos muito o que compensar por 2018', diz zagueiro da Alemanha sobre Copa no Qatar

Jogadores alemães durante treino desta segunda, no Qatar (Foto: Philip Reinhard/DFB)


Tetracampeã mundial e recordista de finais disputadas em Copa do Mundo, a Alemanha quase sempre está na lista de favoritas dos torcedores antes da competição começar. Nesta edição do Qatar, contudo, o sentimento é diferente. E o motivo vem de quatro anos atrás, quando os germânicos caíram ainda na primeira fase na Rússia, após duas derrotas e uma derrota.


+ TUDO O QUE ROLA NO QATAR: Acompanhe o dia a dia das seleções e as notícias mais importantes da principal competição esportiva

Para os remanescentes da última seleção, é hora de virar o jogo. E um dos líderes desse discurso é o zagueiro Niklas Süle. Ele chega ao Oriente Médio aos 27 anos após uma participação discreta em campos russos: só uma partida, a derrota por 2 a 0 para a Coréia do Sul.

- Temos muito o que compensar. Esta é a minha segunda Copa do Mundo. Estou em bom contato com Hansi Flick (técnico alemão) e gostaria de assumir a responsabilidade de garantir que, na melhor das hipóteses, alcançaremos o máximo de sucesso possível.

Titular do Borussia Dortmund, Süle descarta que o fracasso na Rússia tenha ficado como uma marca para os germânicos.

- Não é um trauma. O futebol é muito rápido, então você não tem muito tempo para falar sobre sucessos e fracassos. Ninguém que estava lá pensa nos jogos contra o México ou a Coreia do Sul (adversários que venceram a Alemanha em 2018). É uma Copa do Mundo, então nenhuma motivação especial é necessária.

+ Brasil não perde o 1º jogo em Copas do Mundo há 88 anos; relembre as estreias da Seleção
> Confira a tabela e simule resultados da Copa do Mundo-22 do Qatar
> Conheça o novo aplicativo de resultados do LANCE!