Conheça os técnicos gringos que fizeram sucesso no Brasil antes de Jesus e Sampaoli

Yahoo Esportes
(Reprodução)
(Reprodução)

O primeiro levou o Flamengo aos títulos da Libertadores e do Brasileiro e o segundo fez o Santos, um time sem grandes nomes no elenco, chegar ao vice-campeonato nacional. Ambos com um futebol para frente e bonito.

Já está seguindo o Yahoo Esportes no Instagram? Clique aqui! 

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Mas bem antes deles, outros estrangeiros tiveram sucesso no Brasil.

Leia também

Filpo Nuñez

(Reprodução/Trivela)
(Reprodução/Trivela)

O argentino Filpo Nuñez chegou ao país em meados da década de 1950, passou por diversos clubes, como Cruzeiro, Guarani e Corinthians, mas foi no Palmeiras que ele se destacou ao implantar seu esquema "pim-pam-pum", que era o jogo em velocidade, com toques de primeira, em direção ao gol. 

Essa forma de jogar criou a Primeira Academia de Futebol do Palmeiras, que encantou o país de 1964 a 1965, ano que conquistou o Rio-São Paulo, na época um torneio de muita relevância.

Filpo Nuñez chegou até a comandar a seleção brasileira em amistoso contra o Uruguai, na inauguração do Mineirão, em 1965. Vitória do Brasil por 3 a 0. Todos os jogadores daquela equipe eram do alviverde.

Dori Kürschner 

(Reprodução/Trivela)
(Reprodução/Trivela)

No final da década de 1930, o húngaro Dori Kürschner chegou ao Flamengo e foi o responsável pela principal mudança tática no futebol brasileiro: o sistema WM (3-2-5), criado pelo técnico inglês do Huddersfield e depois do Arsenal, Herbert Chapman, após mudança na regra de impedimento.

A tática trazida ao Brasil pelo húngaro foi usada pelo treinador Flávio Costa na seleção brasileira de 1950, que terminou vice-campeã da Copa do Mundo.

Béla Guttmann

(Keystone/Hulton Archive/Getty Images)
(Keystone/Hulton Archive/Getty Images)

Foi na década de 1950 que outro treinador vindo da Hungria mexeu com o futebol brasileiro. Béla Guttmann chegou ao São Paulo em 1957. O técnico dava ênfase em trabalhos de organização da equipe e treinos de fundamentos. 

Pelo tricolor, Guttmann foi campeão paulista no mesmo ano de sua chegada. Com ele, Vicente Feola aprendeu conceitos, ampliou seu conhecimento teórico e implantou o 4-2-4 do europeu na seleção brasileira campeã da Copa do Mundo de 1958.

Siga o Yahoo Esportes

Twitter |Flipboard |Facebook |Spotify |iTunes |Playerhunter

Leia também