Técnico do Milan tem medalha roubada em festa do título

Stefano Pioli celebrou o título com os atletas, mas teve sua medalha roubada durante a comemoração. Foto: Antonio Calanni/AP Photo
Stefano Pioli celebrou o título com os atletas, mas teve sua medalha roubada durante a comemoração. Foto: Antonio Calanni/AP Photo

Stefano Pioli, treinador do Milan que se sagrou campeão italiano no último domingo (22), revelou que alguém lhe roubou a medalha na sequência dos festejos em campo, e fez questão de pedir a honraria de volta.

"Roubaram minha medalha no meio das celebrações. Devolvam-me porque é a única que tenho", pediu o técnico italiano.

Leia também:

Com 56 anos, Pioli festejou a conquista do primeiro título na carreira de treinador. Como jogador, o antigo central venceu uma Serie A em 1985/86 e uma Liga dos Campeões, na temporada anterior, ambas defendendo a Juventus de Turim.

Visivelmente emocionado depois do Milan garantir a conquista do 19º título da sua história, Pioli fez questão de atribuir o mérito aos jogadores que classificou como fenômenos.

“Os meus jogadores são fenômenos. Estou feliz por eles, por mim, pela equipe, pelo clube e pelos torcedores que merecem este scudetto. Eu estou realmente feliz. Fomos mais consistentes do que a Inter. O último jogo que perdemos foi contra o Spezia e não deveríamos ter perdido. A equipe nunca desistiu, os jogadores foram fantásticos, tanto os que jogaram mais, como os que jogaram menos”, analisou.

O treinador manteve a calma que lhe é habitual até ao final do jogo, mas no final saltou, cantou e dançou. Tomou o famoso banho de champanhe e deu um abraço comovente em Paolo Maldini. Depois pegou o neto no colo e andou pelo gramado.

Um título muito festejado, depois do Milan ter passado por várias temporadas longe dos primeiros lugares.

“Merecíamos o scudetto porque acreditávamos mais nele, porque somos uma equipe forte e porque tive dois grandes treinadores como o Maldini e o Massara ao meu lado. Nos divertimos muito no trabalho com estes caras. Queríamos melhorar o campeonato do ano passado e sabíamos que, se o fizéssemos, estaríamos lutando por algo importante. Somos uma equipe forte que sempre acreditou em si. Temos sido corajosos. Foi um caminho que nos levou a ser os mais fortes”, acrescentou.

Durante as dedicatórias, Pioli lembrou-se do pai, já falecido. “Ao meu pai, tenho a certeza que, onde quer que esteja, ficará feliz e orgulhoso do que fiz”, finalizou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos