Técnico da seleção russa de vôlei fez gesto racista contra sul-coreanas em 2019

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Busato fez o gesto após vitória contra Coreia do Sul em 2019 - Foto: Reprodução
Busato fez o gesto após vitória contra Coreia do Sul em 2019 - Foto: Reprodução

Técnico da seleção russa feminina de vôlei, o italiano Sergio Busato irritou jogadoras e comissão técnica do Brasil no confronto desta quarta-feira, pela Olimpíada de Tóquio. Em 2019, ele foi assunto por um motivo bem mais grave: um gesto racista.

Naquele ano, Busato, ainda como auxiliar de Vandim Pankov, protagonizou um caso de discriminação. Após vitória difícil por 3 sets a 2 sobre a Coreia do Sul no Pré-Olímpico, ele celebrou fazendo um gesto conhecido como “slanted-eyes”, no qual a pessoa puxa a ponta dos olhos com os dedos.

Leia também:

O episódio irritou os sul-coreanos, e a confederação de vôlei do país chegou a entrar com representação formal contra Busato na Federação Internacional de Vôlei (FIVB). A entidade considerou o italiano culpado e o puniu com três jogos de suspensão.

Diante da repercussão negativa, o então auxiliar chegou a pedir desculpas publicamente, mas disse não entender por que a equipe e as jogadoras sul-coreanas sentiram-se ofendidas.

Nesta quarta, Busato não teve o que comemorar. Depois do triunfo no primeiro set, viu a Rússia cair por 3 a 1 para o Brasil e ser eliminada nas quartas de final do torneio olímpico.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos