#TBT – Não esquecemos da 1ª vez de Gabriel Medina

Yahoo Esportes
<em>Em 2014, Gabriel Medina conseguiu o que muitos brasileiros sonharam. O país conquistou o campeonato mundial de surfe. (Getty Images)</em>
Em 2014, Gabriel Medina conseguiu o que muitos brasileiros sonharam. O país conquistou o campeonato mundial de surfe. (Getty Images)

Por Emanoel Araújo e Guilherme Daolio

Há um mês do início do evento derraeiro e decisivo do surfe, que pode consagrar o bicampeonato de um brasileiro, o Yahoo Esportes reconta a história de um momento mágico do esporte, tanto para o Brasil quanto para o Mundo.

#VaiMedina era o que mais se ouvia enquanto o assunto surfe engatinhava aqui no Brasil. A possibilidade de um atleta brasileiro ganhar, pela 1ª vez, o Mundial de Surfe era apenas um sonho. Apesar de chegar ao mês de novembro com a liderança da competição e chance real de título, o cenário dominado pelos australianos, havaianos e americanos tornava o feito algo muito ousado.

E foi com desconfiança que Medina chegou à Pipeline, nada incomum quando vindo de brasileiros. Mas nesse caso era pior: Medina disputava o título diretamente com o 11 vezes campeão Kelly Slater e o tricampeão Mick Fanning. Se você tivesse algum dinheiro para apostar, você também iria na lógica.

:: CONVIVENDO COM O ‘INIMIGO’

Gabriel Medina (líder) e Mick Fanning (vice-líder) desembarcaram no Havaí para dividir a mesma casa. De frente a onda de Pipeline, a casa da patrocinadora de ambos se transformou em centro de preparação para ambos. Lidar com a paciência de esperar uma semana sem campeonato e a ansiedade de ter o inimigo na porta ao lado aumentaram ainda mais as expectativas.

E elas foram atendidas no dia 19 de dezembro. Para quem acredita que o surfe é um esporte individual, não pode imaginar o quanto os brasileiros foram importantes para aquele título.

Em especial Alejo Muniz. O surfista eliminou Kelly Slater (3ª fase) e Mick Fanning (5ª fase), deixando o caminho livre para Medina apenas comemorar.

Mas Medina estava dentro da água e foi Filipe Toledo quem saiu da areia para dar o recado. Medina era, oficialmente, o 1º Campeão Mundial do Brasil. A empolgação pelo título acabou com os planos do próprio Filipinho de ter seu melhor resultado em Pipe. Depois da comemoração fora da água, Gabriel voltou para o mar e venceu o compatriota nas quartas de final.

 

<em>Em 2014, Gabriel Medina conseguiu o que muitos brasileiros sonharam. O país conquistou o campeonato mundial de surfe. (Getty Images)</em>
Em 2014, Gabriel Medina conseguiu o que muitos brasileiros sonharam. O país conquistou o campeonato mundial de surfe. (Getty Images)

:: A RIVALIDADE AUMENTA

Foram poucos minutos de comemoração até uma tensa final. Julian Wilson já confirmara o título da Tríplice Coroa, mas enfrentar o rival de anos na festa do título, seria mais uma glória.

E o começo parecia um sonho. Logo na primeira onda do brasileiro, um unânime 10 para garantir o título mundial e uma inédita vitória brasileira na lendária onda de Pipeline.

Mas o australiano acabou encontrando duas ondas boas e vencendo por 19,63 a 19.20. Uma final digna da rainha dos mares e um troféu justo para o melhor surfista da temporada.

<em>Em 2014, Gabriel Medina conseguiu o que muitos brasileiros sonharam. O país conquistou o campeonato mundial de surfe. (Getty Images)</em>
Em 2014, Gabriel Medina conseguiu o que muitos brasileiros sonharam. O país conquistou o campeonato mundial de surfe. (Getty Images)

 

Leia também