Taubaté aciona CBV alegando ofensa racista contra Lucarelli

A polêmica do duelo entre Taubaté em Sesi-SP, nesta quinta-feira, foi além do quesito arbitragem e virou caso de racismo. A diretoria taubateense entrou em contato com a Confederação Brasileira de Vôlei nesta sexta, pedindo a suspensão automática de Rafael Martins, que defende os paulistanos, acusando o jogador de proferir ofensas raciais contra Ricardo Lucarelli.

Agitado, o confronto deste meio de semana, válido pelos playoffs da Superliga masculina teve uma briga quando se encaminhava para os minutos finais. O momento acalorado se deu por conta de um erro da arbitragem, que não marcou quatro toques do Taubaté e validou o ponto da equipe do interior.

Depois do ocorrido, os jogadores do Sesi se reuniram ao lado do árbitro da partida e os taubateenses resolveram se envolver. A confusão se generalizou e terminou com um cartão vermelho para cada lado, um deles para Lucarelli.

O Taubaté divulgou a decisão através de comunicado enviado pela assessoria de imprensa. Rechaçando qualquer manifestação de cunho racista, o clube ainda apontou que Lucarelli não se pronunciará sobre o caso.

Confira a íntegra da nota enviada pelo Funvic/ Taubaté nesta sexta:

A Funvic Taubaté comunica que pediu a CBV (Confederação Brasileira de Voleibol) à suspensão automática do atleta Rafael Martins de Almeida, da equipe do Sesi SP, devido a ofensa racial contra o atleta Ricardo Lucarelli Santos de Souza, na partida da última quinta-feira (06 de abril), pela Superliga Masculina.

O atleta da Funvic Taubaté não irá se pronunciar sobre o assunto.

Aproveitamos para salientar que a Funvic Taubaté repudia toda e qualquer manifestação de cunho racial.