Taison é punido por reação que teve após ser alvo de racismo

Folhapress
***ARQUIVO***VIENA, ÁUSTRIA, 09.06.2018 - Taison durante treino oficial da seleção brasileira realizado no estádio Ernst Happel, na cidade de Viena, na Áustria. (Foto: Romena Fogliati/Folhapress)
***ARQUIVO***VIENA, ÁUSTRIA, 09.06.2018 - Taison durante treino oficial da seleção brasileira realizado no estádio Ernst Happel, na cidade de Viena, na Áustria. (Foto: Romena Fogliati/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Associação Ucraniana de Futebol confirmou nesta quinta-feira (21) que o atacante Taison, 31, vai cumprir um jogo de suspensão após ter sido expulso durante partida do Shaktar Donetsk contra o Dínamo de Kiev, na qual ele foi vítima de insultos racistas. 

Revoltado com os gritos da torcida do Dínamo, que era visitante e estava em menor número, Taison mostrou o dedo do meio e chutou a bola na direção dos torcedores. Por causa disso, foi expulso.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

O clube de Kiev também foi punido e terá de jogar uma partida com portões fechados, além de pagar uma multa de 500 mil Grívnia (cerca de R$ 87 mil). 

A sentença contra Taison foi criticada pela Fifpro (associação internacional de jogadores). Em nota, a entidade disse estar "decepcionada" com a decisão. "Sancionar uma vítima de racismo vai além da compreensão e joga a favor daqueles que promovem esse comportamento vergonhoso."

O caso aconteceu no último dia 10. Avisado do racismo pelo também brasileiro Dentinho, o árbitro do jogo paralisou a partida por cerca de cinco minutos durante o segundo tempo. Os jogadores do clube de Kiev foram até a beira do campo e pediram que as ofensas cessassem.

O jogo terminou com vitória do Shakhtar Donetsk por 1 a 0.

"Jamais irei me calar diante de um ato tão desumano e desprezível. Minhas lágrimas foram de indignação, de repúdio e de impotência, impotência por não poder fazer nada naquele momento", disse Taison em uma publicação na rede social Instagram.

Vítima desta vez, o time de Dentinho e Taison já foi protagonista neste ano de outro caso de racismo. Em março, quando disputava a Liga Europa, a Uefa puniu o Shakhtar por bandeiras de extrema direita exibidas nas arquibancadas.

O clube de Donetsk tem atuado na Champions League desta temporada com parte do estádio fechado.

Leia também