Tabárez lembra desgaste físico de seus jogadores e valoriza vitória sobre o Paraguai

·2 minuto de leitura
(arquivo) O técnico do Uruguai Oscar Tabárez durante a partida contra a Argentina na Copa América em 18 de junho de 2021 em Brasília

O técnico do Uruguai, Óscar Tabárez, enalteceu a vitória de sua seleção por 1 a 0 sobre o Paraguai nesta segunda-feira, no encerramento da fase de grupos da Copa América-2021, apesar do desgaste sofrido por seus jogadores.

"Acho que nos aspectos importantes do jogo fomos melhores, tivemos dez chutes a gol contra dois deles. Considerando que em um período de pouco mais de sete ou oito dias fizemos três partidas e que o elenco não está totalmente recuperado, então é duplamente louvável", afirmou em entrevista coletiva virtual no estádio Olímpico Nilton Santos, no Rio de Janeiro, onde foi disputada a partida.

"Precisávamos de uma vitória, precisávamos continuar melhorando o jogo e acho que hoje vimos as duas coisas", acrescentou.

O 'Maestro' surpreendeu ao deixar no banco de reservas o maior artilheiro da história da Celeste, Luis Suárez, que entrou aos 67 minutos no lugar do autor do gol da vitória sobre os paraguaios, Edinson Cavani, de pênalti aos 20 minutos.

Foi a primeira vez que 'El Pistolero' foi reserva pela seleção nacional desde junho de 2019, na vitória por 3 a 0 sobre o Panamá em um amistoso em Montevidéu. Em partidas oficiais, o atacante do Atlético de Madrid não assistia ao jogo sentado no banco desde a vitória por 8 a 0 sobre o Taiti na Copa das Confederações de 2013, no Brasil.

"Não foi uma decisão tática, os jogadores são pessoas, às vezes estão bem, às vezes não, é preciso administrar a parte física do jogador", explicou. "Conversei sobre isso com o próprio Suárez e a solução foi dar a ele menos minutos neste jogo para que esteja melhor no jogo seguinte".

Tabárez considerou que seu adversário nas quartas de final, a Colômbia de Reinaldo Rueda, é um "time muito bom" e uma "terra de grandes jogadores" e que vai ser um jogo difícil para seu time no sábado, em Brasília.

"Contra a Colômbia esperamos estar em melhores condições, continuar melhorando e lutar pela vitória. Agora não há outro resultado a não ser continuar na Copa América e é isso que queremos", disse ele.

O técnico de 74 anos considerou importantes para a recuperação de seus atletas os cinco dias de descanso que sua equipe terá antes do confronto com os colombianos. E avisou que seu time está em ascensão.

"Estávamos melhorando com o passar dos jogos", concluiu.

raa/ma/aam

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos