Têm vaga? A situação contratual dos 12 jogadores emprestados pelo Fluminense

Nathalia Almeida
·3 minuto de leitura

Por conta da criação de uma equipe Sub-23 que disputa o Brasileirão de Aspirantes, o Fluminense tem, hoje, cerca de 50 contratos profissionais em vigor. Uma parte desse grupo de jogadores, no entanto, não se encontra em Laranjeiras atualmente: ao todo, 12 nomes vinculados ao Tricolor estão cedidos a outros clubes via empréstimo, o que certamente representa um alívio importante na folha salarial mensal do clube. O UOL Esportes levantou quem são esses 12 jogadores, onde estão atuando e detalhou suas respectivas situações contratuais. Confira um breve resumo:

Atacante Pablo Dyego é um dos emprestados | MAURO PIMENTEL/Getty Images
Atacante Pablo Dyego é um dos emprestados | MAURO PIMENTEL/Getty Images

Diogo Santos (volante, 19 anos)
Foi emprestado ao Joinville, de Santa Catarina, até o final da temporada 2021, quando seu contrato junto ao Fluminense se encerra. Fez apenas seis jogos pelo novo clube, até o momento.

Geovani (zagueiro, 21 anos)
O Fluminense detém 90% de seus direitos econômicos, mas como estava sem espaço nas Laranjeiras, também acabou cedido ao Joinville até o final de 2021. Mesma situação contratual de seu antecessor nesta lista.

Guilherme (lateral-direito, 20 anos)
Foi emprestado ao Boavista para ganhar rodagem, mas até agora só esteve em campo pelo Carioca em uma oportunidade, atuando apenas 38 minutos. Tem vínculo longo (dezembro/2023) com o Flu.

John Everson (volante, 21 anos)
Está emprestado ao Botafogo-SP até o final da atual temporada, quando seu vínculo com o Tricolor expira. Se atingir determinados gatilhos de produtividade no clube paulista, terá o contrato renovado pelo clube carioca. Até o momento, no entanto, ainda não estreou.

Lucas Barcelos (atacante, 22 anos)
Seu contrato com o Fluminense se encerra em dezembro deste ano. Está cedido ao Sergipe via empréstimo, clube pelo qual já disputou onze partidas, com três gols anotados. 50% de seu passe pertence ao Tricolor.

Marlon (lateral, 23 anos)
Está atuando no futebol europeu, mais especificamente no Trabzonspor, da Turquia. É titular absoluto por lá e está bem adaptado ao novo clube. Foi emprestado sem cláusula de compra fixada, mas seu estafe e o próprio atleta acreditam na permanência em solo turco. Vínculo com o Fluminense vai até dezembro de 2022.

Marlon está atuando na Europa, mais precisamente na Turquia | Alexandre Loureiro/Getty Images
Marlon está atuando na Europa, mais precisamente na Turquia | Alexandre Loureiro/Getty Images

Mascarenhas (lateral, 22 anos)
Emprestado ao Vitória de Guimarães-POR desde janeiro de 2020, será devolvido pelo clube luso ao Fluminense sem nem ter estreado. Seu último jogo oficial foi em junho de 2019. As lesões têm sido um problema em sua carreira profissional. Seu futuro é incerto.

Pablo Dyego (atacante, 27 anos)
Revelado pelo Fluminense, tem contrato com o clube carioca até dezembro de 2021, data que expira seu vínculo de empréstimo ao Atlético-GO.

Paulo Filho (goleiro, 20 anos)
O jovem goleiro foi cedido via empréstimo ao Ceará, até dezembro de 2021, e reforçará a base do clube alvinegro. Seu contrato com o Tricolor também expira no final do ano.

Robinho (atacante, 25 anos)
O atacante renovou com o Fluminense antes de ser emprestado ao Bashundhara Kings, de Bangladesh, pelo qual soma 10 gols em 10 jogos neste ano de 2021. Seu contrato de empréstimo tem opção de compra, e o Tricolor aposta suas fichas nisso.

Rodolfo (goleiro, 30 anos)
Depois de longo tempo inativo por conta de uma suspensão por doping, o goleiro foi cedido ao Oeste para a disputa do Paulistão, ou seja, deve retornar às Laranjeiras ao final do mês de maio. Seu vínculo com o Tricolor vai até o final de 2021.

Wisney (lateral, 21 anos)
Está emprestado ao Boavista para a disputa do Campeonato Carioca e tem contrato com o Fluminense até o final do ano. O time das Laranjeiras detém 70% de seu passe.

Rodolfo ficou longo tempo inativo em virtude de punição | Buda Mendes/Getty Images
Rodolfo ficou longo tempo inativo em virtude de punição | Buda Mendes/Getty Images