Técnico do Santos contra o The Strongest foi jogador e deixou Falcão no banco

·1 minuto de leitura


Sem o técnico Fernando Diniz, que foi expulso na vitória por a 1 a 0 contra o Boca Juniors, na Vila Belmiro, o auxiliar Márcio Araújo será o comandante do Peixe no jogo pela 5ª rodada da Fase de Grupos da Libertadores, contra o The Strongest, nesta terça, na altitude de 3.640 m boliviana.

Nascido no dia 7 de maio de 1960, Márcio Araújo começou a carreira nas categorias de base do São Paulo e ganhou a primeira chance no time profissional em 1981. Quatro anos depois a jovem promessa tricolor barrou Paulo Roberto Falcão, à época grande contratação do São Paulo. Cilinho, que era o técnico, optou por deixar o Rei de Roma no banco de reservas para valorizar o trabalho de Márcio Araújo.

Um dos fatos marcantes da carreira do treinador foi que, após se aposentar, acompanhou Telê Santana no primeiro ano no São Paulo, em 1993, e depois no Palmeiras, em 1995, ambos como auxiliar técnico. Anos depois, já como treinador, conheceu Fernando Diniz, então jogador, no Paraná.

O auxiliar também foi o técnico principal de outros times, como o Bahia, São Caetano e Bragantino. Porém, em 2019, Márcio Araújo passou a integrar a comissão técnica de Fernando Diniz no Fluminense, com um dos auxiliares-técnicos.

O time que Márcio Araújo e sua comissão deverá colocar em campo é: João Paulo, Pará, Kaiky, Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison (Balieiro), Jean Mota e Gabriel Pirani; Ângelo, Lucas Braga e Kaio Jorge