Técnico que deixou Petkovic fora da Copa do Mundo e causou polêmica morre de covid-19

Goal.com

O ex-jogador e técnico Ilija Petkovic faleceu neste sábado (27) devido à Covid-19. Petkovic tinha 74 anos e, segundo o jornal L'Equipe, tinha problema de úlcera, que acabou complicando o quadro. O ex-treinador é conhecido, dentre outras coisas, por não levar o seu xará Dusan Petkovic para a única oportunidade de disputar uma Copa do Mundo, em 2006, em uma história que gerou muito debate e confusão à época do Mundial disputado na Alemanha. 

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Esportes no Google News

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Ilija Petkovic foi jogador de futebol e atuou por times como OFK Belgrado, Troyes e também pelo Peñarol, do Uruguai. Jogando pela antiga seleção da Iugoslávia, ele fez parte do grupo vice-campeão da Eurocopa de 1968 e chegou a atuar em uma partida de Copa do Mundo contra o Brasil, em 1974. Atualmente ele era o presidente da Federação de Futebol de Belgrado.

Leia também:

Em 2006 ele era o técnico da seleção da Sérvia e Montenegro, que disputou a Copa do Mundo, na Alemanha. Na lista dos 23 jogadores convocados, a ausência de Dejan Petkovic, que à época estava no Fluminense, chamou a atenção. Pet era considerado um dos principais jogadores do país e certamente poderia ser uma importante peça para seu país.

Ilija não convocou o camisa 10 e teve duas oportunidades para isso. O motivo é que o atacante Mirko Vucinic foi cortado da equipe por lesão e o treinador chamou outro Petkovic, o próprio filho Dusan Petkovic. 

O então novato à época não aguentou a pressão por ter sido convocado por seu próprio pai e por supostamente ter tirado a vaga do craque do país. Por isso, antes do Mundial, Dusan abandonou a seleção e voltou para casa. A Sérvia não pode convocar outro atleta para o lugar e teve que disputar a Copa com 22 atletas. 

Em 2018, em entrevista ao El País, o ex-jogador do Flamengo e Fluminense relembrou a situação e deu seu lado da história.

"Eu vinha de um Campeonato Brasileiro fantástico com o Fluminense. Meus jogos no Brasil eram transmitidos na Sérvia. O país inteiro pedia minha convocação. Sempre inventavam uma desculpa para não me levar. Quando saiu a lista da Copa, as pessoas se perguntavam por que eu não fui convocado. Então, o Vucinic se machucou. E aí divulgaram o substituto: D. Petkovic. Começaram a me ligar, me dando os parabéns, mas, na verdade, o convocado era o Dusan Petkovic, filho do técnico", explicou Pet.

O ex-atleta explica que a troca de um atacante por um zagueiro foi um golpe duro para todo o país e gerou muita polêmica e discussão.

Ele trocou um atacante por um zagueiro. Isso pegou tão mal que, na preparação para a Copa, o garoto não aguentou a pressão e foi embora, com vergonha de estar lá. Disputamos o Mundial com um jogador a menos. Nunca me deram uma explicação oficial. Em off, diziam que, se me chamassem, eu teria que jogar. Infelizmente, perdi duas Copas do Mundo. Entrei para o grupo restrito dos bons jogadores que nunca jogaram um Mundial", disse o antigo camisa 10 do Flamengo.

Siga o Yahoo Esportes no Instagram, Facebook e Twitter e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.

Leia também