Técnico do Palmeiras pode repetir feito na Copinha alcançado por rival Corinthians há 18 anos

PV festeja classificação palmeirense à decisão com a galera (Foto: Fabio Menotti/Palmeiras)


Que a base do Palmeiras vem quebrando recordes, todo mundo sabe. Ano passado, por exemplo, os garotos do Verdão asseguraram pela primeira vez em uma mesma temporada os títulos da Copa São Paulo de juniores, Campeonato Brasileiro sub-20 e a Copa do Brasil sub-20 na mesma categoria. Agora, com a vaga em mais uma decisão da Copinha assegurada, pela primeira vez consecutiva, chegou a hora do responsável por tudo isso também garantir seu nomes na história: o técnico Paulo Victor.

Caso ganhe a final do próximo dia 25, em local ainda a ser decidido, o comandante do sub-20 alviverde igualará uma marca de 18 anos. Desde 2005, quando Adaílton Ladeira conduziu o rival Corinthians ao título de 2004 e daquele ano, um mesmo treinador não é bicampeão consecutivo da mais tradicional competição de base do futebol brasileiro.


+ Saiba 55 nomes famosos em clubes de menor expressão nos estaduais

Desde então, somente outra equipe conquistou dois títulos seguidos da Copinha: o Santos, em 2013 e 2014, mas houve mudança de técnico de um ano para o outro.

- Meu futuro é como falo em relação ao adversário, não controlo o que pode acontecer. Mas estou muito feliz aqui no Palmeiras, que me oferece todas as condições para desenvolver o melhor trabalho possível. O clube me proporcionou experiências muito significantes para o meu crescimento pessoal e profissional. pretendo continuar aqui por muito tempo - disse o treinador.

- É muito prazeroso estar de novo podendo disputar uma final de Copinha. Só mostra a qualidade do trabalho do clube como um todo, quando você entrega oito jogadores para a equipe profissional. A gente preparou esse grupo em três semanas para a copa São Paulo, conseguimos fazer uma campanha muito boa e mais uma vez apresentando jogadores para a torcida e o time principal - completou PV.

A reformulação no time sub-20 do Verdão acabou sendo grande. Nenhum dos 11 titulares da equipe que conquistou a Copinha ano passado atuou na edição desta temporada. Garcia, Naves, Vanderlan, Fabinho, Jhon Jhon, Giovani e Endrick estão integrados ao profissional, enquanto Mateus, Lucas Freitas, Pedro Bicalho e Gabriel Silva estão emprestados.

- Dentro do sub-20 a gente já tem essa ideia de trabalho, não de trabalhar o time, mas a equipe. nessa reformulação, remontagem, a mescla com o sub-17 foi um desafio muito grande, eles sobem, mas passam a conhecer as particularidades do treinador. E ainda temos que fazer essa mescla com os atletas que ficaram no sub-20. Fazer essa gestão não é tão simples - disse PV.

- Fazer esse gerenciamento de todos os atletas, tirar atletas que estão chegando ao limite da idade, colocar atletas mais novos, não é mais simples, mas temos de manter todos focados nos objetivos da equipe - completou o comandante alviverde.

O adversário do Palmeiras na segunda final seguida de Copinha será conhecido mais tarde, no duelo entre Santos e América-MG. E PV descarta antecipar projeções.

- A gente não consegue controlar esse tipo de coisa, por isso eu procuro focar nas coisas que eu controlo, nosso desempenho, nosso rendimento, tomar as melhores decisões, pensando sempre no Palmeiras - concluiu.