Técnico da França minimiza estratégia da Inglaterra contra Mbappé: 'Terá uma, assim como os últimos adversários'

O técnico Didier Deschamps, da seleção da França, em entrevista em Doha, no Qatar (Foto: Franck Fife/AFP)


As seleções da França e da Inglaterra se enfrentam neste sábado, às 16h, pelas quartas de final da Copa do Mundo. Destaque francês, Kylian Mbappé, obviamente, está no centro das atenções. Os ingleses buscam uma forma de pará-lo, enquanto os franceses confiam que, mais uma vez, o camisa 10 conseguirá ser decisivo. Foi o que o técnico Didier Deschamps confirmou em entrevista na véspera da partida.

- Acredito que a Inglaterra terá uma estratégia (contra Mbappé), assim como nossos adversários prévios. Contudo, Kylian tem a habilidade de fazer a diferença. No último jogo, quando não estava no melhor nível em relação aos dois primeiros, ainda foi decisivo. Kylian é sempre o Kylian, com a capacidade de ser decisivo todas as vezes - afirmou o treinador.

Autor de cinco gols e duas assistências, Mbappé forma o setor ofensivo da França ao lado de Giroud, Dembélé e Griezmann. O setor ofensivo deve ser mantido, assim como o restante da formação que entrou em campo nas vitórias sobre Dinamarca e Polônia durante a Copa do Mundo.

Os Bleus realizam um último treino nesta sexta-feira. Caso não tenha nenhuma baixa de última hora, Didier Deschamps buscará a vaga nas semifinais do Mundial do Qatar com o seguinte time: Lloris; Koundé, Varane, Upamecano e Theo Hernández; Rabiot, Tchouaméni e Griezmann; Dembélé, Mbappé e Giroud. Na coletiva, o treinador francês projetou o confronto com o English Team. Veja!

Os jogadores apresentam uma serenidade antes da partida contra a Inglaterra. Estão prontos para "explodir" no sábado?

"Não, esse não é o termo certo. Tem serenidade e calma desde o início. É uma quartas de final da Copa do Mundo, mas não há motivo para stress. É só felicidade, prazer e, claro, com o objetivo de chegar entre os quatro semifinalistas."

A velocidade será um fator decisivo na partida?

"É decisivo normalmente. Quando você é rápido, o adversário tem menos tempo para se organizar, mesmo que se precise de mais do que velocidade para marcar. O time inglês é muito bom em suas transições. Foi assim que marcou mais da metade de seus gols. Eles têm mais do que essa qualidade."

Koundé e Tchouaméni estão pendurados. Como lidar com isso?


"Eles sabem disso. Dizer a eles para serem cuidadosos significa que eles jogarão com o freio de mão puxado. Esse não é o ponto. Eles estão expostos, mas isso faz parte da competição. Atuar limitado seria a pior coisa. Agora, entre falar e fazer, é o mais complicado."