Técnico da Bolívia pede "sensibilidade" à Conmebol por eventual sanção a Marcelo Moreno

·2 minuto de leitura
O atacante Marcelo Moreno celebra gol marcado pela Bolívia sobre o Chile, pelas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2022

O técnico da Bolívia, César Farías, pediu à Conmebol nesta quinta-feira "sensibilidade" diante de uma eventual sanção contra o atacante Marcelo Moreno, infectado com covid-19, após responsabilizar a entidade pelos casos de coronavírus na Copa América-2021.

"Marcelo Moreno é mais do que nosso capitão, ele é nossa bandeira do ponto de vista futebolístico, e ele teve dias difíceis como qualquer ser humano que está doente e isolado", disse Farías em entrevista coletiva virtual na Arena Pantanal, em Cuiabá.

"Acima das leis também deve haver sensibilidade. A sensibilidade de analisar todo o contexto e não ver quem é mais poderoso ou quem tem razão. Tem havido uma grande reflexão da parte dele e essa reflexão fala do ser humano que é o Marcelo e do profissional que é", comentou o técnico.

O artilheiro, que fará 33 anos nesta sexta-feira, causou polêmica na terça devido a uma mensagem nos 'stories' do Instagram, na qual acusava a Conmebol pelos contágios de covid-19 durante o torneio.

"Obrigado à Conmebol por isso. A culpa é toda sua!!!", escreveu ele depois que a autoridade sanitária brasileira notificou cinquenta casos de coronavírus vinculados à Copa América no início desta semana.

"Se uma pessoa morrer, o que você vai fazer? O que só importa para você é o DINHEIRO. A vida do jogador não vale nada???", acrescentou na publicação que ele depois acabou apagando.

Na quarta-feira, em um comunicado que também foi postado em sua conta no Instagram, ele se retratou, argumentando que sua afirmação "foi interpretada incorretamente" por aqueles que estão encarregados de fazer suas comunicações públicas.

- Eliminatórias, foco de infecção -

Farías alertou que os casos de contágio em 'La Verde' "vêm desde as Eliminatórias", na última rodada dupla disputada há duas semanas e apesar da grande bolha sanitária criada pela Conmebol para a disputa dos jogos que classificam para a Copa do Mundo.

"Todos nós sabemos mais do que se quer dizer. Peço a todas as autoridades que a diplomacia prevaleça nesse sentido", disse ele.

"A competição precisa do artilheiro das eliminatórias, precisa que a Bolívia também cresça e isso beneficia a todos, às seleções, aos que fazem a Copa América, e pelos motivos que sabemos que foi feito em dez dias, quando havia planejamento para outras localidades há mais de dois anos", comentou o técnico.

Farías pediu à Conmebol que considerasse "a face humana" do histórico artilheiro da Bolívia caso seja sancionado e não se a situação de isolamento e angústia em que se encontra o camisa 9, que "veio com todo o amor para jogar pelo seu país e não tem podido fazê-lo por motivo de doença e está separado da equipe".

A Bolívia vai enfrentar o Chile nesta sexta-feira, em Cuiabá, na segunda rodada do Grupo A da Copa América-2021.

cl/ma/aam

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos