Técnico da Argentina pede que jogadores ergam a cabeça após derrota surpreendente

Técnico da seleção da Argentina, Lionel Scaloni, durante partida contra a Arábia Saudita pela Copa do Mundo do Catar

Por Gabrielle Tétrault-Farber

(Reuters) - O técnico da seleção da Argentina, Lionel Scaloni, disse que seus jogadores precisavam se reagrupar e olhar para os próximos jogos após a derrota por 2 x 1 para a Arábia Saudita em sua estreia na Copa do Mundo do Catar em uma das maiores zebras da história do torneio.

A Arábia Saudita, seleção que tem a segunda pior posição no ranking da Fifa entre as classificadas para o torneio atrás somente de Gana, derrotou os favorito sul-americanos em uma virada espetacular no segundo tempo da partida disputada nesta terça-feira, o que chocou os fãs de futebol em todo o mundo.

Parecendo calmo em uma entrevista coletiva após a partida, apesar da derrota, Scaloni disse que a equipe iria analisar suas deficiências antes dos próximos jogos do Grupo C contra o México e a Polônia

"Hoje é um dia triste, mas como sempre dizemos, cabeça erguida e vamos em frente", disse ele.

"Éramos considerados favoritos antes do jogo, mas na Copa do Mundo, este tipo de coisa pode acontecer. Temos que trabalhar com as coisas que não funcionaram bem."

Scaloni elogiou a defesa saudita por jogar avançado e deixar os atacantes argentinos impedidos nos três gols marcados pela equipe sul-americano e posteriormente anulados.

Ele disse que o gol de empate saudita marcado por Saleh Al-Shehri aos três minutos do segundo tempo, que apagou a vantagem obtida na primeira etapa pelos argentinos graças ao pênalti convertido por Lionel Messi, havia preparado o terreno para a derrota

"Eu acho que o primeiro tempo foi todo nosso, mas um gol pode mudar tudo", disse Scaloni.

Messi, jogando em sua quinta Copa do Mundo aos 35 anos, descreveu a derrota como um "golpe muito duro" para a Argentina, que até então tinha mantido uma série invicta de 36 partidas.

"Não esperávamos começar desta maneira", disse ele. "Precisamos nos preparar para o que está por vir. Precisamos vencer ou vencer, e isso depende de nós. Temos que voltar à base de quem somos."