Técnica da Nigéria considera que "homossexualismo é algo sujo"

A técnica da seleção feminina de futebol da Nigéria declarou na imprensa, na véspera da estréia do seu time pela Copa do Mundo disputada na Alemanha neste domingo, que o homosexualismo era "algo sujo" e explicou que tinha combatido sua presença na equipe ao recorrer aos serviços de conselheiros religiosos. "O homossexualismo é algo sujo. Espiritualmente e moralmente, é algo muito, muito equivocado", comentou Ngozi Eucharia Uche , em declarações publicadas no jornal popular Bild. Nesta semana, a Parada do Orgulho Gay aconteceu nas ruas de Berlim, capital da Alemanha, um das sedes do mundial. Uche afirmou que já tinha contado com o auxílio de pastores e conselheiros religiosos para evitar a presença de homossexuais no seu vestiário através de orações. A Nigéria fará sua estréia neste domingo em Sinsheim contra a França, no jogo inaugural desta Copa do mundo disputada na Alemanha. No futebol feminino, diversas jogadoras já assumiram seu homossexualismo publicamente. No mês de dezembro, a goleira alemã Nadine Angerer anunciou que era bissexual.