Sylvinho nega que Corinthians teve postura defensiva no Rio e diz que escalou time 'mais ofensivo possível'

·3 min de leitura


Embora o Corinthians tenha sido pressionado durante quase todo o jogo contra o Flamengo na noite da última quarta-feira, no Maracanã, onde acabou sendo derrotado por 1 a 0 com um gol tomado nos acréscimos da etapa final, o técnico Sylvinho negou, na entrevista coletiva que concedeu após o confronto, que a sua equipe tenha entrado em campo para atuar de forma defensiva.

TABELA
> Veja classificação e simulador do Brasileirão-2021 clicando aqui

> Conheça o aplicativo de resultados do LANCE!

GALERIA
> Veja até quando vai o contrato de cada jogador do Corinthians

Para completar, o treinador ressaltou que repetiu a escalação usada na vitória por 3 a 2 sobre o Cuiabá, no sábado passado, na Neo Química Arena, para apontar que não armou a sua equipe de maneira fechada na defesa e apenas esperando chances de surpreender os flamenguistas no contra-ataque.

- Ao contrário (de defensivo), nós saímos (para começar a partida) com um time ofensivo, nós repetimos um time, um time ofensivo com presença de área, da qual tivemos no jogo passado, eu repito isso. Nosso time não saiu defensivo, nosso time saiu como saiu no jogo passado - afirmou o comandante, para em seguida enfatizar que a própria qualidade do rival obrigou os corintianos a ficar se defendendo das investidas ofensivas dos rubro-negros no Maracanã.

- O adversário, de uma qualidade importante de jogo, é que vai te jogando para trás. Nós tivemos alguns momentos em que controlamos o jogo, mas tivemos muita dificuldade. Muita dificuldade de criação, em chegar (no ataque) e isso foi nos causando um problema. E no segundo tempo até um pouco a mais - completou o treinador, que amargou nesta quarta-feira o sétimo jogo consecutivo sem vitórias fora de casa no Campeonato Brasileiro.

Pouco depois, Sylvinho chegou até a transparecer uma pequena dose de irritação ao ser questionado por um repórter se o fato de o time precisar se defender durante toda a partida poderia significar que ele adotou uma estratégia de jogo defensiva para encarar o Flamengo no Maracanã.

- É óbvio que não é uma estratégia (defensiva), se fosse estratégia nós mudávamos a escalação. Não jogaria o Jô, não jogaria o Renato (Augusto), e de repente nem o Juliano, nós poderíamos optar pelo Roni na volta (após se recuperar de lesão), tem o Du (Queiroz), que entrou no meio-campo, Vitinho começando pelo lado esquerdo... Muito pelo contrário, volto a dizer, o time que jogou foi o time que se repetiu do último jogo, que fizemos em casa - analisou.

TREINADOR RECONHECE DESEMPENHO RUIM DO TIME

Se por um lado Sylvinho negou que o seu time tenha atuado de maneira defensiva, por outro o comandante reconheceu que o Corinthians não exibiu boa atuação no Maracanã, onde ponderou bastante que o Rubro-Negro também impediu que a sua equipe desempenhasse um melhor futebol.

- Obviamente que se tratam de jogos diferentes (este e o contra o Cuiabá). Primeiro, não estamos jogando em casa. Segundo, enfrentamos um adversário bastante qualidade. E nós saímos (para o jogo) com o time mais ofensivo possível, nós saímos e repetimos a escalação, mas o adversário é outro, é potente, tem qualidade, e vai te jogando para trás - destacou o treinador.

- O desempenho não foi bom e nós incomodamos pouco o nosso adversário, Sim, isso é uma realidade, mas a estratégia de ficar atrás, não, pois se fosse assim eu teria escalado outros atletas - finalizou o comandante, que agora vai preparar o Corinthians para enfrentar o Santos no clássico deste domingo, às 16h, na Neo Química Arena, pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos