Por suspensão de 2011, Verón está fora do duelo contra o Botafogo

Juan Sebástian Verón não poderá ir a campo contra o Botafogo, nesta terça-feira, pela Libertadores da América. Aos 42 anos, o presidente do Estudiantes de La Plata resolveu sair de sua aposentadoria para contribuir com sua equipe também dentro das quatro linhas, porém, por conta de uma expulsão em 2011, disputando a Copa Sul-Americana pelo clube argentino, ele terá de cumprir suspensão contra o Botafogo.

A tendência era que Verón não iniciasse como titular no Engenhão, mas esperava-se que o ex-jogador da seleção argentina entrasse no decorrer do jogo para abrilhantar ainda mais o importante duelo entre Botafogo e Estudiantes, válido pela primeira rodada do grupo 1 da Libertadores.

Inicialmente Verón teria que cumprir uma suspensão de três jogos, mas a Conmebol acabou reduzindo a pena do jogador para apenas uma partida. O regulamento da entidade que regula o futebol na América do Sul atesta que penas de três partidas possuem prescrição de seis anos. Como o meia foi expulso em setembro de 2011, sua suspensão só seria anulada caso a partida desta terça ocorresse em setembro.

No entanto, há uma brecha em que o Estudiantes tentou se apoiar para seguir com esperanças de contar com Verón contra o Botafogo. O mesmo regulamento explica que penas de uma partida têm prescrição de três anos, logo o meia poderia ir a campo, já que a suspensão ocorreu em 2011. Entretanto, a Conmebol deixou claro que a redução da pena do jogador não altera a questão de prescrição.

Com a pena reduzida, Verón estará livre para entrar em campo nos próximos dois compromissos do Estudiantes de La Plata na Libertadores, em abril, contra o Barcelona de Guayaquil e Atlético Nacional, atual campeão do torneio.