Detido um suspeito pelo atentado de Dortmund vinculado ao Islã radical

Por Christophe BEAUDUFE y Emmanuel BARRANGUET

A polícia alemã deteve nesta quarta-feira um homem relacionado ao Islã radical na investigação do atentado contra o ônibus da equipe de futebol Borussia Dortmund, anunciou a Procuradoria Federal, um ato que as autoridades consideram como "terrorista".

A Alemanha também reforçou consideravelmente as medidas de segurança para as partidas da Liga dos Campeões previstas para esta quarta-feira no país.

A primeira foi entre Dortmund e Monaco, realizada na tarde desta quarta após ser adiada pelo ataque, e terminou com a vitória do Monaco (3-2). A segunda ocorreu em Munique, onde o Bayern recebeu o Real Madrid, que venceu os locais (2-1).

Segundo a procuradora antiterrorista de Karlsruhe, a investigação se concentra em dois suspeitos, dos quais um foi detido. "Os apartamentos dos dois suspeitos foram revistados", acrescentou a Procuradoria, falando de motivos possivelmente "terroristas".

O Stadt Anzeiger de Colônia, um jornal da região de Dortmund, afirma que os dois suspeitos são um iraquiano de 25 anos, residente em Wuppertal, e um alemão de 28 anos, oriundo de Fröndenberg.

"Levando em conta o modus operandi, podemos considerar que se trata de um ataque de caráter terrorista", afirmou à imprensa uma representante da procuradoria antiterrorista, Frauke Köhler.

O ministro do Interior do estado da Renânia do Norte-Westfália, Ralf Jaeger, onde fica a cidade de Dortmund, foi mais prudente e explicou que a polícia investiga "em todas as direções".

Segundo ele, uma das cartas de reivindicação encontradas no local do ataque fala do grupo Estado Islâmico (EI) "e pode ser autêntica ou uma tentativa de criar pistas falsas".

O ministro do Interior alemão, Thomas de Maizière, participou do encontro e destacou que a Alemanha "não deixará que criminosos roubem sua paixão [pelo futebol]".

O zagueiro espanhol do Dortmund que ficou ferido, Marc Bartra, teve sua operação no pulso realizada com sucesso. "Olá a todos! Como veem já estou muito melhor, muito obrigado a todo mundo pelas mensagens de apoio", escreveu em sua conta no Instagram.

Na terça-feira, às 19H15 locais, três cargas explodiram quando passava o ônibus que levava os jogadores do Dortmund para o estádio da cidade para disputar a partida das quartas de final da Liga dos Campeões contra o Monaco.

As janelas traseiras do ônibus explodiram e os estilhaços feriram o zagueiro Bartra, que fraturou o pulso e foi operado durante a noite.

Segundo a agência DPA, a carta encontrada no local está escrita "em nome de Alá", e cita Angela Merkel pela participação da Alemanha na luta contra o grupo extremista Estado Islâmico.

O texto pede a retirada da Síria dos aviões de combate alemães Tornado e o fechamento da base militar americana de Ramstein, na Alemanha, de onde saem os drones militares para a Síria.

A vigilância das forças de segurança tem sido reforçada há meses e, em particular, desde dezembro, quando um caminhão foi lançado contra as pessoas que passeavam em um mercado de Natal em Berlim, deixando 12 mortos e vários feridos.

- Proteção para o Real Madrid -

Após o choque do ataque, o Borussia Dortmund recebeu inúmeras mensagens de apoio do mundo do futebol e nesta quarta voltou a treinar.

O presidente do clube, Hans-Joachim Watzke, também enviou uma mensagem de apoio. "Acabo de pedir à equipe para que mostre à sociedade que não cederemos ao terrorismo", disse no Twitter.

"Podemos imaginar como dormiram", assegurou Reinhard Rauball, membro do conselho administrativo. "Evidentemente trata-se de uma situação muito difícil, a equipe nunca havia vivido isto. Mas acreditamos que a equipe dará o melhor de si", acrescentou.

Nesta quarta-feira havia ainda mais policiais dentro e no entorno do estádio, embora o nível de segurança na Alemanha já esteja no máximo desde os atentados de 2016.

Em Munique, onde a polícia também já está mobilizada, 30 policiais com coletes à prova de balas vigiavam o hotel onde estão hospedados os jogadores do Real Madrid, segundo o jornal Bild. Os ônibus das equipes estão estacionados em um local seguro.

A Uefa, organizadora da Liga dos Campeões, também anunciou que está "reavaliando suas medidas de segurança" para as partidas desta quarta-feira, e as reforçará "onde for necessário".