Surto de Covid e experiência positiva: Mancini avalia período no Villa Nova

LANCE!
·3 minuto de leitura


Depois de anos de formação, estudo e preparação em solo europeu para obter as licenças B, A e PRO da Uefa para se tornar treinador de futebol, Mancini acertou com o Villa Nova-MG para desenvolver seu primeiro trabalho em sua nova função no Brasil.

TABELA
> Veja classificação e simulador do Brasileirão da Série D clicando aqui

Em profunda crise financeira, salários atrasados e com surto de Covid-19 no elenco que, somado aos lesionados, gerou 12 desfalques para o duelo da última rodada diante do Tupynambás, o Villa ainda tem remotas chances matemáticas de classificação para a próxima fase da Série D e se prepara para duelo fora de casa diante do líder Gama na sexta-feira.

- Realmente é uma situação inusitada, nunca vivenciei isso como atleta nem treinador. É uma situação estranha, mas diante do cenário em que estamos vivendo estamos todos sujeitos a isso. Já houve vários clubes que passaram por isso e dessa vez foi a gente e acredito que outros clubes ainda passarão por esse tipo de situação. Meus atletas que estiveram em Juiz de Fora foram muito homens, comprometidos, demonstraram sua força psicológica, muito coração em uma partida super difícil onde vencíamos até os 52 do segundo tempo e infelizmente tomamos o empate, mas diante de uma situação tão complicada o time fez um excelente jogo, de caráter, determinação e entrega. Isso que fica marcado, tiro uma lição muito importante disso de que futebol não é feito apenas de 11 jogadores. Atletas que não vinham jogando e na última partida entraram e deram conta do recado e mostraram autoridade e confiança - avaliou o treinador.

Na sétima colocação do Grupo 6, com nove pontos, o Villa está a cinco pontos da Caldense, atual quarta colocada e última equipe na zona de classificação. Restam ainda três rodadas, diante de Gama, Palmas e Atlético-BA para o clube de Nova Lima-MG conhecer seu futuro na competição. Mancini vê chances remotas, mas garante que sua equipe vai lutar até o final.

- É fazer jogo a jogo, restam ainda três jogos. Vamos vivenciar jogo a jogo, temos uma situação muito remota de possibilidade de classificação, mas enquanto houver esperança e chances matemáticas a gente vai em busca dela. Estamos trabalhando bem essa semana para chegar na sexta-feira e conseguir um resultado importante contra o Gama. Sabemos que é difícil, eles são os líderes, mas se fizermos um jogo organizado, equilibrado, temos chances de vencer - comentou.

O treinador, que soma duas vitórias, três empates e seis derrotas até aqui, ainda faz uma avaliação de sua primeira experiência como técnico no futebol brasileiro. Depois de uma passagem pelo Foggia, da Itália, Mancini aceitou o desafio de assumir o Villa mesmo com problemas financeiros graves pela tradição do clube no Estado.

- Minha avaliação como primeira experiência no Brasil está sendo positiva, clube tradicional, importante no Estado, que infelizmente vive problemas financeiros e problemas de gestão. Estamos juntos com os atletas, são um grupo comprometido, que está dando a vida aqui no Villa Nova. Mas particularmente está sendo de suma importância o aprendizado, vivenciar uma Série D, algo que nunca vivi como atleta. Campeonato difícil, que eu não conhecia tanto, e acredito que isso tenha me prejudicado um pouco, mas creio que com todos esses problemas temos feito campeonato bom. Temos ao menos três jogos que merecíamos ter vencido, onde fomos superiores aos adversários, mas infelizmente não concluímos em gol e não fomos eficientes. Mas tudo isso somado, tem sido uma experiência fantástica para mim e irei carregar para o resto da minha carreira - concluiu.